Policial que matou George Floyd é condenado a mais de 20 anos de prisão em corte federal

Policial que matou George Floyd é condenado a mais de 20 anos de prisão em corte federal

Pena federal para ex-policial de 46 anos é definitiva

AFP

George Floyd morreu no dia 25 de maio de 2020

publicidade

Uma corte federal dos Estados Unidos condenou nesta quinta-feira (7) o policial branco Derek Chauvin a mais de 20 anos de prisão por ter asfixiado com o joelho o afro-americano George Floyd em maio de 2020.

O ex-policial de 46 anos já tinha sido condenado a 22 anos e meio de prisão por um tribunal estadual de Minnesota, mas apelou da sentença. A pena federal é definitiva.

"Realmente não sei porque ele fez o que fez", declarou o juiz da corte federal do distrito, Paul Magnuson, ao anunciar a sentença. "Mas colocar o joelho no pescoço de outra pessoa até ela morrer não é bom" e "merece uma punição substancial", afirmou.

Durante uma breve intervenção, Derek Chauvin desejou aos filhos de George Floyd que "triunfem na vida", mas não pediu perdão ou expressou remorso.

A mãe do ex-policial, Carolyn Pawlenty, garantiu que o filho não é racista e que "todas as vidas importam, seja qual for a cor da pele", parafraseando o lema do movimento Black Lives Matter.

Philonise Floyd, irmão de George, pediu "a pena máxima" para Derek Chauvin e contou que, desde a tragédia, não consegue dormir.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895