Protesto contra o confinamento em Londres tem mais de 30 detidos

Protesto contra o confinamento em Londres tem mais de 30 detidos

Segundo a polícia local, a maioria foi presa por violar o isolamento social

AFP

Protesto contra o confinamento em Londres tem mais de 30 detidos

publicidade

Pelo menos 36 pessoas foram presas e vários policiais ficaram feridos nesse sábado durante uma manifestação em Londres que reuniu milhares de pessoas contra o confinamento imposto devido à pandemia de Covid-19, informaram as forças de segurança da capital inglesa. A maioria foi detida por violar o confinamento, disse a polícia. Desde o início de janeiro, os habitantes da capital e de outras cidades estão proibidos de sair de casa, exceto para uma série de deslocamentos limitadas.

O protesto começou no Hyde Park ao meio-dia e continuou no centro de Londres. Mais tarde, um grupo de manifestantes voltou ao parque, onde lançou projéteis contra a polícia. "Vários ficaram feridos como consequência desses ataques seletivos", afirmou em nota o subcomissário Laurence Taylor, que liderou as operações de manutenção da ordem. “É totalmente inaceitável e triste que os policiais que estão lá para nos proteger se tornem vítimas desses ataques violentos”, acrescentou.

A polícia de Londres foi muito criticada na semana passada, após uma forte intervenção durante uma manifestação não autorizada em homenagem a uma jovem londrina cujo desaparecimento e morte chocaram o Reino Unido. No sábado, cerca de 60 parlamentares britânicos assinaram um apelo lançado por associações de defesa dos direitos humanos, no qual afirmam que proibir as manifestações "é inaceitável e provavelmente ilegal".

As restrições contra o coronavírus estão em vigor na Inglaterra desde o início de janeiro. Diante de uma melhora na situação sanitária, o primeiro-ministro Boris Johnson prometeu flexibilizá-las e suspender o confinamento estrito no final do mês.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895