Rússia vê "erros" em documentos que comprovariam sua presença militar na Ucrânia

Rússia vê "erros" em documentos que comprovariam sua presença militar na Ucrânia

"Estamos talvez diante de alguém que o escreveu por engano no documento, porque isso é impossível", disse o porta-voz do presidente Vladimir Putin, Dimitri Peskov

AFP

publicidade

A Rússia afirmou nesta quinta-feira que os documentos de um tribunal que comprovariam sua presença militar nas regiões separatistas da Ucrânia contêm "erros" e negou que suas tropas tenham cruzado a fronteira.

Um tribunal russo da região de Rostov (sul) publicou neste mês uma sentença contra um acusado que confessou ser o responsável por fornecer alimentos às tropas russas no leste da Ucrânia.

Dimitri Peskov, um porta-voz do presidente Vladimir Putin, disse à imprensa nesta quinta-feira que o texto provavelmente contém erros. "Estamos talvez diante de alguém que o escreveu por engano no documento, porque isso é impossível", disse Peskov.

No entanto, afirmou que a Rússia enviou regularmente ajuda humanitária para as regiões separatistas. Nesta quinta-feira, o serviço de imprensa do tribunal de Rostov que emitiu a decisão disse que o tribunal local não havia comprovado o depoimento deste acusado.

"Não era o assunto do processo legal", afirmaram em seu comunicado, acrescentando que "o tribunal não verificou nem pôde verificar este depoimento".

O veredito afirma que, entre 2018 e 2019, foi enviada a cada duas semanas uma fila de 70 caminhões de abastecimento para as tropas russas mobilizadas no leste da Ucrânia. Kiev e seus aliados ocidentais afirmam que a Rússia apoia as regiões separatistas pró-Rússia do leste da Ucrânia no conflito com o governo, que deixou mais de 13 mil mortos. Mas a Rússia nega o apoio militar.

Essa revelação ocorre em meio a tensões nas fronteiras entre Ucrânia e Rússia, a quem o Ocidente acusa de preparar cerca de 100 mil soldados para uma possível invasão.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895