Rei emérito Juan Carlos I estaria em Abu Dhabi, afirma imprensa espanhola

Rei emérito Juan Carlos I estaria em Abu Dhabi, afirma imprensa espanhola

Monarca teria recebido 100 milhões do rei Abdullah, da Arábia Saudita

Por
AFP

Rei emérito Juan Carlos I estaria em Abu Dhabi, afirma imprensa espanhola


publicidade

O rei emérito espanhol Juan Carlos I, que partiu para o exílio após um escândalo de corrupção, estaria em Abu Dhabi, segundo uma nova versão de seu paradeiro publicada nesta sexta-feira (7) pelo jornal ABC. O país em que se encontra o ex-chefe de Estado depois de anunciar sua saída da Espanha na segunda-feira se tornou objeto de grande especulação.

Durante a semana, vários meios de comunicação, incluindo o ABC, um jornal próximo à monarquia, afirmaram que ele estaria em Portugal e outros mencionaram a República Dominicana. A Casa Real se recusa revelar o paradeiro e se limitou a afirmar que o próprio Juan Carlos anunciará sua localização se considerar oportuno.

De acordo com o ABC, o rei emérito de 82 anos viajou de Vigo, na Galícia (noroeste da Espanha), na manhã de segunda-feira em um jato particular ao lado de um assessor e de quatro seguranças. Ele desembarcou sete horas mais tarde em um aeroporto executivo da capital dos Emirados Árabes Unidos.

O plano de voo do jato, de acordo com o ABC, foi alterado para mostrar um voo Paris-Abu Dhabi e assim evitar rastreamentos. Na realidade, o avião saiu da capital francesa no domingo e o monarca embarcou em Vigo.

Do aeroporto executivo de Abu Dhabi, Juan Carlos teria sido levado de helicóptero para o hotel Emirates Palace, um complexo luxuoso à prova de paparazzi e do qual não teria saído devido às temperaturas elevadas, afirma o jornal. O hotel, no entanto, desmentiu à AFP a presença do ex-monarca. "Não temos nenhum hóspede VIP", afirmou um funcionário.

A segurança do rei emérito seria concedida por seu "amigo" Mohamed bin Zayed Al Nahyan, o príncipe herdeiro de Abu Dhabi, segundo o ABC, que não descartou a possibilidade de Juan Carlos viajar para a República Dominicana, onde poderia ser recebido por um amigo magnata.

O rei emérito mantém boas relações com as monarquias do Golfo e é justamente uma transferência de 100 milhões de dólares que - segundo um jornal suíço - teria sido feita pelo rei Abdullah da Arábia Saudita em 2008 a uma conta na Suíça a questão que está no centro do escândalo que abala Juan Carlos.

Sua fortuna em contas secretas na Suíça é investigada pelas justiças suíça e espanhola. O rei emérito, porém, não é objeto de nenhum processo e seu advogado afirmou que se apresentará à justiça se for convocado.


Juan Carlos afirmou na segunda-feira que deixaria a Espanha para "contribuir a facilitar o exercício das funções" de seu filho, o rei Felipe VI, a favor de quem abdicou em 2014.