Serpente píton de quase 6 metros é capturada na Flórida

Serpente píton de quase 6 metros é capturada na Flórida

Animal foi capturado 60 km a oeste de Miami

AFP

Píton birmanesa é uma das espécies exóticas mais indesejáveis da Flórida

publicidade

Dois caçadores estabeleceram um novo recorde com a captura de uma serpente píton birmanesa de 5,7 metros, informaram as autoridades da Flórida ao promover a caça de uma das espécies invasoras que faz mais estragos ao ecossistema pantanoso deste estado no sudeste dos Estados Unidos. O animal, capturado 60 km a oeste de Miami, media 5,71 metros e pesava 47 Kg, informou na quinta-feira (8) à noite a Comissão de Pesca e Vida Silvestre da Flórida (FWC) em sua página no Facebook.

"Esse é um novo recorde!", acrescentou o texto, que acompanha uma fotografia dos caçadores, Ryan Ausburn e Kevin Pavlidis, posando cada um em uma extremidade serpente, que se estende se um lado ao outro da rua. "A eliminação desta serpente fêmea é um triunfo da nossa vida silvestre e nossos hábitats nativos", escreveu o FWC. O recorde anterior da Flórida tinha sido estabelecido também por uma píton de 5,68 metros, capturada em 2013.

A píton birmanesa é, junto com a iguana verde, uma das espécies exóticas mais indesejáveis da Flórida. Originárias do sudeste asiático, estas cobras chegaram no estado como animais de estimação no final do século passado e acredita-se que tenham sido soltas irresponsavelmente por seus donos nos Everglades, um pântano no sul do estado e que é o hábitat de jacarés e aves tropicais.

Sem um predador além dos caçadores, elas se alimentam de guaxinins, esquilos, coelhos, pássaros e até mesmo de jacarés pequenos. Por isso, a FWC conduz programas para promover a eliminação de espécies exóticas.

Em julho do ano passado, por exemplo, pediu aos residentes da Flórida para matarem as iguanas verdes, abundantes em parques e praças, "sempre que seja possível".

 

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895