Suspeito de ataque contra primeiro-ministro da Eslováquia afirma ter agido por razões políticas

Suspeito de ataque contra primeiro-ministro da Eslováquia afirma ter agido por razões políticas

Após o ataque, o premiê foi submetido a duas cirurgias em um hospital na cidade de Banská Bystrica, onde permanece internado.

AFP

O agressor, identificado pela imprensa eslovaca como o poeta Juraj Cintula, de 71 anos, foi preso imediatamente pelos seguranças de Fico

publicidade

O homem acusado de atirar no primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico, declarou em um documento judicial obtido pela AFP nesta quinta-feira (23) que agiu em discordância com a política do governo e que não tinha a intenção de matá-lo.

Segundo uma decisão redigida pelo juiz Román Puchovski no sábado, durante o interrogatório, o acusado afirmou sua discordância com a atual política do governo. Fico foi atingido por quatro tiros na semana passada enquanto cumprimentava apoiadores após uma reunião do governo em Handlova, cidade no centro da Eslováquia.

Após o ataque, o premiê foi submetido a duas cirurgias em um hospital na cidade de Banská Bystrica, onde permanece internado. Sua condição é considerada "grave, mas estável" pela unidade médica. O agressor, identificado pela imprensa eslovaca como o poeta Juraj Cintula, de 71 anos, foi preso imediatamente pelos seguranças de Fico. No sábado, um tribunal decidiu mantê-lo em prisão preventiva, após o Ministério Público acusá-lo de tentativa de homicídio premeditado.

Cintula critica a atual gestão pela abolição da Procuradoria Especial, pelos ataques à imprensa e pela interrupção da ajuda militar à Ucrânia, assim como pela política em relação à União Europeia.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895