Terapia celular surge como alternativa para tratamento da Covid-19
capa

Terapia celular surge como alternativa para tratamento da Covid-19

Método consiste em usar placentas para cultivar células inteligentes e programá-las para secretar proteínas terapêuticas nos corpos de pessoas doentes

Por
R7

Uma empresa israelense adaptou suas pesquisas para tratar pacientes com coronavírus

publicidade

Em uma videoconferência internacional, realizada nesta terça-feira pelo Ministério das Relações Exteriores de Israel, várias tecnologias no combate ao coronavírus foram apresentadas. A maioria delas já existiam, foram adaptadas em caráter emergencial e aguardam aprovação das autoridades.

Especialista em tecnologia de produção de células-tronco, comercializando produtos de terapia celular, uma empresa israelense adaptou suas pesquisas para tratar pacientes com coronavírus.

Segundo o diretor executivo da instituição, Yaky Yanay, o método consiste em usar placentas para cultivar células inteligentes e programá-las para secretar proteínas terapêuticas nos corpos de pessoas doentes. Sete israelense foram tratados com essa técnica e os resultados foram satisfatórios, diz ele.

Doses de 15 mililitros de células da placenta (órgão que leva nutrientes da mãe para o feto), são injetados no organismo do paciente e, segundo Yanay, funcionam como geradores de proteínas terapêuticas. Uma única placenta poderia tratar 20 mil pacientes com coronavírus e isso potencializaria o tratamento.

Apesar de ainda não ter realizado um ensaio clínico, o tratamento nos sete pacientes israelenses surtiram efeito, segundo Yanay. Dois deles estavam com falência múltipla dos órgãos e tiveram melhora respiratória e clínica.

"A evolução deste tratamento está sendo rápida e em breve ele será acessível aos pacientes de Covid-19", ressaltou Yanay, em relação ao método, que aguarda aprovação regulatória. Um paciente nos Estados Unidos também está recebendo o tratamento.

Na videoconferência, foi apresentada também uma técnica de infusão de plasma de pacientes curados, desenvolvida por outra companhia israelense, localizada dentro do Instituto Weizmann, em Rehovot.

Segundo o diretor executivo da empresa, Amir London, o objetivo é desenvolver e aprovar esse produto farmacêutico em um curto prazo.

O combate ao coronavírus tem ainda mobilizado empresas de mapeamento de casos; tecnologia de vídeo; entregas por drone e de aplicativo de treinamento com inteligência artificial.