Tribunal de Berlim anula ordem que determina fechamento de bares e restaurantes às 23h

Tribunal de Berlim anula ordem que determina fechamento de bares e restaurantes às 23h

Medidas para conter novos casos de coronavírus na capital alemã entrariam em vigor no dia 31 de outubro

AFP

Bares teriam de fechar das 23 até às 6 horas

publicidade

O tribunal administrativo de Berlim anulou nesta sexta-feira a ordem que obriga bares e restaurantes da capital alemã a fecharem entre 23h e 6h, por considerar que "não é evidente" que ajude na luta contra o aumento de contágios por coronavírus.

Onze proprietários de restaurantes recorreram à Justiça para pedir uma análise das restrições, impostas em 10 de outubro. Na decisão, o tribunal considerou que a medida representava uma "usurpação desproporcional da liberdade" do setor. Ainda cabe recurso no tribunal administrativo superior de Berlim-Brandemburgo.

A prefeitura de Berlim tomou a decisão de impor restrições noturnas diante do preocupante aumento de casos de Covid-19 na capital. Esta semana, o governo alemão reiterou sua grande preocupação com o aumento das infecções no país.

Em uma reunião de crise na quarta-feira, a chanceler Angela Merkel e os líderes regionais estabeleceram um roteiro nacional com novas restrições. Entre elas, o fechamento de bares e restaurantes à noite, a partir de um determinado limite de infecções. Nesta sexta, a Alemanha registrou um novo recorde de 7.334 novos casos positivos em 24 horas.

Veja Também

Bares e restaurantes teriam de fechar entre 23h e 6h, horário que costuma reunir dezenas de milhares de pessoas todos os finais de semana na capital. Em Berlim, muitos lugares ficam abertos a noite toda. Essas restrições, que afetavam todas as lojas, salvo farmácias e postos de gasolina, deveriam ficar em vigor pelo menos até 31 de outubro.

Outras cidades, como Frankfurt ou Colônia, adotaram medidas semelhantes de fechamento noturno obrigatório. A vida noturna da capital alemã é um componente essencial da economia da cidade. Apenas os "clubs" reportaram mais de 1,5 bilhão de euros (US$ 1,76 bilhão) para a cidade em 2018.



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895