Trump demite seu assessor de segurança nacional John Bolton
capa

Trump demite seu assessor de segurança nacional John Bolton

Presidente disse que nomeará seu substituto na próxima semana

Por
AE

John Bolton não é mais conselheiro de Segurança Nacional, segundo Trump

publicidade

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta terça-feira que demitiu seu assessor de segurança nacional, John Bolton, dizendo estar "fortemente" em desacordo com muitas das posições do político veterano, muito duro a respeito da Venezuela, Cuba, Irã, Rússia e Coreia do Norte. "Ontem à noite informei John Bolton que seus serviços não são mais necessários na Casa Branca. Estava fortemente em desacordo com muitas de suas sugestões, assim como de outros no governo, e, portanto, pedi sua demissão, que ne foi entregue esta manhã", escreveu Trump no Twitter.

O presidente disse que nomeará seu substituto na próxima semana. A notícia, conhecida dias depois de Trump revelar o cancelamento de conversas secretas com o Talibã no Afeganistão, surpreendeu Washington. Conhecido por seus notórios bigodes, Bolton é uma figura controversa por seu estreito vínculo com a invasão do Iraque e foi considerado um dos principais impulsionadores da abordagem dura de Trump em relação ao Irã, Venezuela, Cuba, Nicarágua e Coreia do Norte.

Como é frequentemente o caso na presidência de Trump, a partida abrupta do conselheiro de segurança nacional parecia marcada pelo caos. O anúncio de Trump no Twitter veio logo depois que a assessoria de imprensa da Casa Branca disse que Bolton ofereceria em breve uma coletiva de imprensa sobre questões de terrorismo, juntamente com o secretário de Estado Mike Pompeo. O próprio Bolton apresentou sua versão dos fatos, o que parece contradizer a do presidente. "Eu me ofereci para renunciar ontem à noite e o presidente Trump disse: 'Vamos falar sobre isso amanhã'", tuitou Bolton.