Brigada Militar encerra Operação Golfinho com saldo positivo no Litoral Norte

Brigada Militar encerra Operação Golfinho com saldo positivo no Litoral Norte

Houve aumento de prisões e apreensões, além da queda nos indicadores de criminalidade

Correio do Povo

Mobilização ocorreu entre 18 de dezembro e o dia 06 deste mês

publicidade

A Brigada Militar encerrou a 52ª Operação Golfinho no Litoral Norte com 1.574 prisões, entre flagrantes, foragidos capturados e termos circunstanciados, além da apreensão de mais de 105 quilos de drogas e 145 armas de fogo. A mobilização ocorreu entre os dias 18 de dezembro do ano passado e o dia 06 deste mês.

O comandante do CRPO Litoral, coronel Leandro Oliveira da Luz, avalia que os resultados desta temporada foram favoráveis à segurança pública com o aumento de barreiras policiais, de veículos fiscalizados e de pessoas abordadas e pela redução de indicadores criminais no comparativo com o mesmo período da Operação Golfinho anterior.

Houve um acréscimo de 34,9% no número de barreiras policiais realizadas, de 24,6% em veículos fiscalizados e 20,7% de pessoas abordadas. Em relação ao número de prisões, o aumento foi de 8,3%.

Nos indicadores criminais, a Brigada Militar constatou uma redução recorde de 54,05% no roubo de veículos e queda de 15,3% em roubos a pedestres, bem como uma diminuição de 17,65% em roubos a estabelecimentos comerciais e de 9,52% nos homicídios.

A 52ª Operação Golfinho, planejada e coordenada pelo Comando-Geral e CRPO Litoral, foi executada pelo efetivo que atua na região durante todo o ano com apoio de tropas mobilizadas de várias regiões do RS.

O policiamento foi realizado nas diversas modalidades empregadas pela Brigada Militar, como patrulhamento motorizado em viaturas, motocicletas, rodoviário, aéreo, ambiental, choque, cavalaria, bicicletas, a pé e bases móveis comunitárias. Além da operacionalidade em segurança, também aconteceram diversas apresentações públicas da Banda da Brigada Militar em praias do Litoral Norte.

Foto: BM / Divulgação / CP


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895