capa

Ele gostava muito da história do massacre de Columbine, diz amigo de atirador de Suzano

Jovem afirmou que mandou mensagem para G.T.M ao saber de ataque na escola Professor Raul Brasil

Por
R7

Massacre em escola mobilizou autoridades em Suzano

publicidade

“Ele gostava muito da história do massacre de Columbine, nos Estados Unidos, em que dois adolescentes entraram na escola e mataram várias pessoas”, afirmou um dos melhores amigos de G.T.M., um dos atiradores que abriram fogo na escola Professor Raul Brasil, em Suzano, na região Metropolitana de São Paulo. O jovem, que preferiu não se identificar para a reportagem, menciona o ataque ocorrido em 20 de abril de 1999, que terminou com 15 pessoas mortas e foi protagonizado por Eric Harris e Dylan Klebold. A tragédia norte-americana, inclusive, completará 20 anos no próximo mês. 

• Leia mais sobre o ataque em Suzano 

Em entrevista exclusiva ao repórter Matheus Furlan, da Record TV, o amigo de G.T.M. disse que chegou a mandar uma mensagem para o atirador quando soube do ataque. “Perguntei se o sonho dele tinha sido realizado, mas ele não respondeu”, disse. Segundo o menino, foi neste momento que percebeu que ele era um dos atiradores. 

A mãe do amigo do atirador afirmou ainda que conhecia bem G.T.M. “Não sei intimidades da casa dele, mas sei que ele era um menino muito sofrido”. Ele morava com o avô e as duas irmãs e tinha pouco contato com a mãe", relatou a mulher. 

Ainda segundo a Record TV, G.T.M. e Luiz Henrique Castro, o segundo atirador, eram vizinhos e amigos desde a infância. Castro era calado e se isolava em casa e G.T.M. teria sofrido bullying na escola por ter muitas espinhas no rosto.