Homem que mantinha cães em situação de maus-tratos em Imbé havia feito o mesmo em Tramandaí
capa

Homem que mantinha cães em situação de maus-tratos em Imbé havia feito o mesmo em Tramandaí

Proprietário da casa visitada nesta sexta ligou para a delegacia ameaçando matar todos e pedindo os animais de volta

Por
Chico Izidro

Também foram encontrados animais congelados em um freezer

publicidade

O titular da delegacia de polícia de Imbé, Antônio Carlos Ractz Júnior, que lidera as investigações do caso de maus-tratos a animais na cidade, comentou nesta sexta-feira que o proprietário do local onde 12 cachorros em estado de saúde péssimo já havia passado por uma situação semelhante em Tramandaí. O homem, que recebe pensão de R$ 5 mil do INSS, vivia no município do Litoral e, por pressão dos antigos vizinhos, deixou o local, mas continuou com as atitudes. “A casa é podre, cheia de fezes por todos os lados. O odor era insuportável”, afirmou.

O nome do responsável pela residência não pode ser revelado. Mas ele será indiciado por maus tratos e pode ser sentenciado a uma pena de três meses a um ano de detenção, com mais 1/6 até 1/3 da pena pelo agravante dos animais terem morrido. “Estamos atrás dele, que inclusive nos ligou e fez ameaças, dizendo que vai matar todo mundo aqui na delegacia e que quer os seus animais de volta”, destacou o policial.

De acordo com o delegado, muitos vizinhos disseram que tentavam alimentar os animais, jogando ração por cima do muro da casa. Um garoto, morador da casa ao lado, disse que o homem costuma sair de casa pela manhã e só retornar à noite. A casa foi interditada, tendo uma fita amarela e preta colocada em sua entrada. E os cachorros sobreviventes foram encaminhados para um lar temporário em Imbé, onde receberão atendimento veterinário, e depois serão doados.

"É um desequilibrado", afirma delegado sobre o homem | Foto: Mauro Schaefer

Animais congelados

Na manhã desta sexta-feira, após denúncias de vizinhos, policiais cumpriram mandado de busca e apreensão na rua Arthur Bernardes, 42, no bairro Morada do Sol, e se depararam com 12 cachorros abandonados e desnutridos, pois estavam privados de água e comida. Além disso, em um freezer foram encontrados cinco cadáveres de cães e um de passarinho, congelados. O trabalho teve o apoio da Associação Imbeense de Proteção aos Animais, do Departamento de Proteção Ambiental (Semmapa), da Guarda Municipal de Imbé e da Vigilância Sanitária.

"A veterinária que esteve presente na ação avaliou que a maioria dos animais congelados morreu por desnutrição. A casa tem uma piscina, cuja água está podre e imprópria para consumo. E certamente, os animais tenham tomado esta água, mas também podem ter morrido afogados ao cair na piscina”, disse Antônio Carlos Ractz Júnior. "O cachorro que estava em pior situação, com feridas por todo o corpo e na cabeça já foi adotado pela gente. E eu o batizei de Glock, o mesmo nome da arma”, afirmou.

O delagado disse que pretende ouvir o homem e que provavalmente haverá uma audiência em março. "E fica uma dúvida: Por que os animais mortos estavam congelados naquele freezer?”, questionou. "Ele deve ter algum problema. É um desequilibrado”, avaliou.