Justiça manda soltar suspeitos de estuprar adolescente encontrada morta em motel de Novo Hamburgo
capa

Justiça manda soltar suspeitos de estuprar adolescente encontrada morta em motel de Novo Hamburgo

Vara Criminal entendeu não haver provas suficientes para manter os suspeitos presos preventivamente

Por
Jéssica Moraes / Rádio Guaíba

publicidade

A Justiça mandou soltar, na tarde desta sexta-feira, os dois suspeitos de estuprar uma adolescente de 15 anos em um motel de Novo Hamburgo, no Vale do Sinos. O corpo da jovem foi encontrado, na noite de ontem, em um quarto do estabelecimento, no bairro São Jorge, perto da ERS 239.

A 3ª Vara Criminal do município entendeu que não há provas suficientes para manter os suspeitos, de 25 e 29 anos, presos preventivamente. Segundo a juíza Andrea Hoch Cenne, os homens prestaram socorro à vítima e não há indícios concretos de estupro. Com isso, ambos vão responder em liberdade provisória.

Os homens acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) quando a jovem passou mal. Quando a ambulância chegou, ela já havia morrido. Os dois foram presos em flagrante por estupro de vulnerável.

A causa da morte ainda é desconhecida e não havia sinais de violência no corpo. No entanto, os homens informaram à polícia que os três haviam consumido cocaína antes de a vítima passar mal. Eles ainda relataram que, para conseguir entrar no motel, um deles assumiu o volante e o outro ficou escondido com a adolescente no banco de trás do veículo, um SpaceFox de cor branca.

Ainda segundo os suspeitos, ocorreu ato sexual antes de a jovem começar a convulsionar. O delegado Rodrigo Baggio, que atendeu a ocorrência, salientou que os celulares dos suspeitos foram apreendidos e que a polícia trabalha para descobrir a circunstância da morte a origem da droga supostamente consumida. A investigação vai ficar a cargo da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

Conforme Baggio, a dupla não tentou fugir e não tinha antecedentes na polícia. O caso, ainda assim, é tratado como estupro de vulnerável seguido de morte, já que em função do estado de embriaguez, a adolescente não tinha condições de oferecer resistência.