Mapas com posição dos carros nas revendas eram feitos por quadrilha especializada em roubos

Mapas com posição dos carros nas revendas eram feitos por quadrilha especializada em roubos

Fotos dos criminosos exibindo pistolas e dos veículos roubados também foram encontradas pela equipe da DRV do Deic

Correio do Povo

Integrantes da quadrilha foram detidos em operação realizada nesta quarta

publicidade

A Polícia Civil descobriu que a quadrilha especializada nos roubos de veículos de revendas de Porto Alegre produzia mapas antes dos ataques. Responsável pela Delegacia de Roubo de Veículos (DRV) do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), o delegado Rafael Liedtke explicou que os criminosos compareciam dias antes nos estabelecimentos para fazer um levantamento e verificar a posição dos carros que seriam roubados. “Em um celular tinham os mapas que passaram pelo WhatsApp para outros membros da quadrilha...Estava tudo escrito ali”, observou.

Alvo na manhã desta quarta-feira de uma operação da DRV, a quadrilha é um braço operacional de uma facção nascida no bairro Bom Jesus, na Capital, e com ramificação em Alvorada. Conforme o titular da DRV, os veículos roubados das revendas eram depois clonados, sendo revendidos ou repassados para o cometimento de outros crimes. Quatro criminosos foram investigados desde o final de 2020, mas a Justiça indeferiu os pedidos de prisão mesmo com parecer favorável do Ministério Público do Rio Grande do Sul.

“Não tem o que fazer…”, lamentou o delegado Rafael Liedtke, lembrando que existiam “bastante provas” contra o grupo. “Um deles, porém, foi preso em flagrante com a posse de um revólver calibre 38 municiado e raspado”, acrescentou.

“Eles são muito conhecidos, com antecedentes por roubo, assalto, homicídio, tráfico de drogas.”, frisou. O delegado Rafael Liedtke disse ainda que, em um telefone celular apreendido, os agentes encontraram fotos de farta quantidade de pistolas e imagens dos veículos roubados em garagens.

Mapa criado pela quadrilha explicava onde carros seriam roubados / Foto: Ricardo Giusti 

Prejuízos 

Nos três ataques, o grupo criminoso causou um prejuízo de cerca de R$ 700 mil às revendas automotivas. O primeiro assalto ocorreu em 26 de novembro de 2020 na avenida Sertório. Já em 4 de fevereiro de 2021, um estabelecimento foi atacado na rua Monsenhor Veras. Depois, o terceiro roubo aconteceu em 21 de fevereiro de 2021 em uma revenda da avenida Assis Brasil.

Em todos os ataques, os funcionários foram amarrados. Os ladrões levaram veículos como Toyota Corolla, Renault Duster, Ford Fiesta, Jeep Renegade, Fiat Toro e Fiat Doblo.

Durante a operação ao amanhecer desta quarta-feira, houve o cumprimento de 16 ordens judiciais, sendo oito mandados de prisão temporária e outros oito mandados de busca e apreensão em Porto Alegre, Alvorada, Viamão, Gravataí, Guaíba, Encruzilhada do Sul e Pareci Novo. 

Dez prisões foram efetuadas na ação desta quarta-feira, todas de integrantes de outros grupos que roubam carros nas ruas da Capital. Uma arma, munições e vários telefones celulares foram recolhidos.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895