Polícia Civil apreende mais de 81 quilos de maconha de alta qualidade em Canoas
capa

Polícia Civil apreende mais de 81 quilos de maconha de alta qualidade em Canoas

Droga descoberta em um depósito no bairro Fátima renderia mais de R$ 250 mil para uma facção criminosa

Por
Correio do Povo

Entorpecente estava embalado com selo de um diamante preto, sendo que parte já pronto para a venda

publicidade

Mais de 81 quilos de maconha de alta qualidade, com princípio ativo THC elevado, foram apreendidos pela Polícia Civil em Canoas. A droga estava armazenada em um depósito situado em uma residência no bairro Fátima. A estimativa é de que o entorpecente, distribuídos em tijolos com embalagem na cor verde e um selo com a imagem de um diamante preto, é de que renderia um lucro em torno de R$ 250 mil reais para uma facção criminosa já identificada como responsável pelo local. Um traficante, de 55 anos de idade, foi preso em flagrante.

A operação Diamante Negro foi deflagrada entre a noite dessa terça e madrugada desta quarta-feira pela 1ª Delegacia de Polícia de Canoas, sob comando do delegado Rafael Soares Pereira, após dois meses de investigação. O traficante agora preso havia sido identificado como responsável por cuidar da droga depositada no local. Na pesagem final, a maconha totalizou 81,330 quilos, sendo que uma parte dela já estava fracionada para a comercialização.

Os policiais civis apuraram que a droga seria vendida em toda a Região Metropolitana de Porto Alegre. “Essa prisão tem uma dimensão importante se analisarmos o golpe econômico que os criminosos sofreram”, avaliou o delegado Rafael Soares. “Ainda temos mais indivíduos a serem investigados e seguiremos em busca de todos aqueles envolvidos com o tráfico de drogas”, adiantou.

Por sua vez, o diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana, delegado Mario Souza, declarou que “a quantidade considerável de drogas apreendidas é de suma importância para o enfraquecimento da atuação das facções no município de Canoas”. Ele destacou que essa foi uma “ação cirúrgica” para descobrir e fechar o depósito de entorpecentes mantido pela facção criminosa.