Polícia Civil realiza operação contra homicídio, tráfico de droga e extorsão em Guaíba

Polícia Civil realiza operação contra homicídio, tráfico de droga e extorsão em Guaíba

Houve o cumprimento de 15 ordens judiciais, entre mandados de prisão e de busca e apreensão

Correio do Povo

Efetivo tático da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) participou da ação

publicidade

A operação Columbia foi realizada no início da manhã desta terça-feira pela Polícia Civil em Guaíba. Sob comando da delegada Karoline Calegari, a ação teve 15 ordens judiciais cumpridas, sendo cinco mandados de prisão preventiva, um de prisão temporária e nove mandados de busca e apreensão. Sete criminosos foram presos. Houve a apreensão de mais de R$ 3 mil em dinheiro, três veículos, diversos celulares e um simulacro de arma de fogo. As investigações sobre homicídio, tráfico de droga e extorsão ocorridos na cidade duraram seis meses.

A ação ocorreu em Guaíba, sobretudo no bairro Cohab e vila Iolanda, além de Cachoeirinha. Cerca de 50 agentes foram mobilizados em 22 viaturas, incluindo as participações do efetivo tático e helicóptero da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) e cães farejadores do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc).

Três dos mandados judiciais foram expedidos contra suspeitos de um homicídio. Um homem estava em um bar e passou a agredir a companheira. Nesse momento, ele foi cercado por indivíduos que o espancaram. Em seguida, o homem correu para a casa da mãe, sendo perseguido por dois agressores que o executaram com diversos disparos de arma de fogo.

Durante o trabalho investigativo, os policiais civis apuraram que a vítima foi morta não pelas agressões contra a companheira, mas por ter dívidas com traficantes. A execução foi encomendada por um dos líderes do narcotráfico local. O mandante do crime encontra-se atualmente em liberdade monitorada e tem 25 anos de condenação para cumprir, sendo a maior parte de suas condenações por tráfico de entorpecentes.

Outro investigado, também monitorado por tornozeleira eletrônica, é irmão e braço direito do mandante. Ele é conhecido por ser extremamente violento e é suspeito de praticar diversos homicídios. Já o terceiro suspeito é o responsável por conduzir um esquema de tele entrega de droga para a organização criminosa.

Os outros três mandados foram expedidos pelos crimes de tráfico de drogas e extorsão, praticados por outro grupo criminoso que tem atuado de forma violenta no mesmo bairro. Um dos integrantes foi preso com pequena quantidade de drogas, sendo que conseguiu dispensar antes a maior parte dos entorpecentes no pátio de uma residência.

Solto mais tarde, ele retornou ao local e, acreditando que a moradora tivesse se apossado da droga, exigiu dela que lhe devolvesse o entorpecente. Como a vítima não havia recolhido nada, ela foi obrigada, mediante ameaça de morte realizada com o emprego de arma de fogo, a pagar ao traficante o valor dos narcóticos perdidos.

A delegada Karoline Calegari enfatizou que a Polícia Civil de Guaíba continuará priorizando a repressão ao tráfico de drogas e a delitos violentos no município. Já o diretor da 2ª Delegacia de Polícia Metropolitana (2ª DPRM), delegado Mario Souza, avaliou que a operação teve “especial impacto na criminalidade do município, especialmente por identificar e prender liderança do narcotráfico”.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895