Polícia Civil realiza operação contra onda de homicídios na região de Rio Pardo

Polícia Civil realiza operação contra onda de homicídios na região de Rio Pardo

Alvo da investigação é um grupo criminoso que já teve 43 integrantes identificados

Correio do Povo

Megaoperação ocorreu nesta quinta-feira

publicidade

A Polícia Civil desencadeou a operação Tentáculos para combater os crimes de homicídios, tráfico de drogas e organização criminosa em Rio Pardo. Houve o cumprimento de 16 mandados de prisão preventiva, três mandados de apreensão de menores, 15 medidas cautelares e 40 mandados de busca e apreensão nas cidades de Rio Pardo, Santa Cruz do Sul, Ijuí, Charqueadas e Canoas.Os agentes prenderam 20 criminosos.

Escavações foram realizadas em um suposto cemitério clandestino de corpos de vítimas da facção na localidade de Ramiz Galvão, no interior de Rio Pardo. A ação contou com cerca de 200 agentes e teve apoio do Grupo de Intervenção da Susepe e da Brigada Militar. O trabalho investigativo já identificou 56 envolvidos nos crimes, com funções que variam de traficante, transportador, segurança, informante e matador.

Neste ano, o grupo investigado foi responsável por ao menos dez homicídios de um total de 21 assassinatos que ocorreram na cidade de Rio Pardo, incluindo um motorista de aplicativo de Cruz Alta que desapareceu naquela cidade e foi encontrado morto no município. Em uma das residências pertencentes ao grupo criminoso, ao menos três pessoas foram executadas, incluindo o motorista de aplicativo.

As investigações começaram em março deste ano e no período foram realizadas seis prisões em ações conjuntas com a Brigada Militar. Houve a apreensão de cinco quilos de maconha, um quilo de cocaína e dois quilos de crack, além de R$ 5 mil em dinheiro e oito veículos apreendidos, bem como cinco armas de fogo e munições.

As diligências apontaram que o líder da organização criminosa investigada está recolhido no sistema prisional em Ijuí, mas permanecia comandando os crimes de tráfico e homicídios do interior da cadeia.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895