Polícia desarticula esquema de agiotagem e extorsão na Região Metropolitana de Porto Alegre

Polícia desarticula esquema de agiotagem e extorsão na Região Metropolitana de Porto Alegre

Investigação apurou que vítimas eram ameaçadas se não pagassem empréstimos com juros abusivos

Correio do Povo

Dois criminosos foram presos na ação que cumpriu nove ordens judiciais

publicidade

A Polícia Civil deflagrou ao amanhecer desta quarta-feira a operação Cobrador com o objetivo de desmantelar um esquema de agiotagem e extorsão na Região Metropolitana de Porto Alegre. A ação foi coordenada pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de Canoas, sob comando do delegado Thiago Lacerda.

Houve o cumprimento de nove ordens judiciais em Canoas, Porto Alegre, Cachoeirinha, Viamão e Gravataí. Seis mandados de busca e apreensão e outros três mandados de prisão foram executados por mais de 20 agentes. Duas das três detenções previstas foram efetuadas. Celulares, documentos e mídias foram recolhidos durante a ação.

As investigações duraram em torno de quatro meses. Os agentes da Draco identificaram um esquema de empréstimos ilegais via redes sociais. Conforme os policiais civis, uma espécie de microcrédito ilegal era oferecido. A pessoa passava todos os seus dados e recebia os valores que variavam de R$ 1 mil até R$ 10 mil em dinheiro.

O trabalho investigativo constatou que as pessoas tentavam pagar os empréstimos e os criminosos colocavam cada vez mais juros abusivos e taxas ilegais tornando a dívida impagável. Por meio de ameaças de morte e incêndio, os agiotas realizavam a extorsão e obtinham os valores das vítimas.

O delegado Thiago Lacerda ressaltou que um dos objetivos da operação é “restaurar a tranquilidade das vítimas”. Já o diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ª DPRM), delegado Mario Souza, assegurou que “as investigações continuam”.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895