Polícia faz buscas a homens que efetuaram disparos em frente ao Cristo Redentor

Polícia faz buscas a homens que efetuaram disparos em frente ao Cristo Redentor

Segurança na instituição foi reforçada na zona Norte de Porto Alegre

Gabriel Guedes

Segurança é reforçada no Hospital Cristo Redentor

publicidade

A Brigada Militar e a Polícia Civil seguem mobilizadas neste final de semana com as buscas aos três suspeitos de efetuarem disparos em frente ao Hospital Cristo Redentor, na zona Norte de Porto Alegre, na noite desta sexta-feira. Até o meio-dia deste sábado nenhum deles foi capturado, o que reforçou a necessidade de se redobrar o policiamento na instituição e adjacências. O diretor do hospital, Luiz Carlos Pinto, detalhou que, além dos policiais militares na frente da emergência da instituição, a Polícia Civil também está presente nas unidades de internação onde estão os também criminosos que eram os alvos dos atiradores e que ficaram feridos na ocorrência.

Segundo o comandante do Comando do Policiamento da Capital (CPC), tenente-coronel Rogério Stumpf Pereira Junior, o setor de inteligência da Brigada Militar está em alerta. “Estamos ainda buscando informações para identificação, também com a Inteligência, em contato também com a Polícia Civil, com a diretora do departamento de Homicídios. Temos imagens também”, afirma o PM.

Veja Também

O reforço no policiamento começou logo após o incidente e de acordo com Stumpf, o Batalhão de Choque também está mobilizado para ser empregado rapidamente, se necessário. Não há prazo para término da operação. “O problema decorre de uma disputa antiga, quando trouxeram o pessoal da Nazaré e foram reassentados no condomínio Bom Fim (bairro Sarandi), de uma facção rival”, explica.

Na sexta-feira, o desfecho de mais um destes confrontos ocorreu em frente ao hospital Cristo Redentor, quando 40 pessoas estavam na entrada do setor de emergência. De acordo com a polícia, os criminosos chegaram em um Ford Fiesta cinza e procuravam o grupo de adversários que buscava atendimento na instituição. Os disparos ocorreram na área externa dos hospital, informação confirmada pela direção e também Brigada Militar. “Checamos neste sábado e não encontramos nenhuma marca de tiro nas paredes”, atesta Pinto.

Ao todo, na ocorrência quatro pessoas ficaram feridas. Três criminosos, um deles em estado grave, que foi levado para a cirurgia. "A situação está tranquila. O quadro de uma das pessoas atingidas é boa, embora ainda corra riscos. O resto segue bem também", completa o gestor do Cristo Redentor. Uma mulher também foi atingida no braço durante o tiroteio. À Brigada Militar, ela negou que estivesse com os criminosos na ocorrência. A paciente foi medicada e liberada neste sábado.

A última vez em que aconteceu algo parecido na instituição, foi em 23 de abril de 2016, quando bandidos e Brigada Militar chegaram a trocar tiros em frente. Pinto diz que aquela ocasião levou o Cristo Redentor a contar com segurança armada, algo que segue até hoje. “Agora não acontece mais de entrarem. Mas temos situações como esta”, compara. Entretanto, para se protegerem do tiroteio, as pessoas entraram correndo emergência a dentro e a porta eletrônica de vidro acabou sendo destruída. "Hoje (sábado) estamos providenciando uma empresa para recolocação da porta de vidro que foi quebrada", adianta.
 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895