Polícia prende acusado de torturar jovem em supermercado de São Paulo
capa

Polícia prende acusado de torturar jovem em supermercado de São Paulo

Crime ocorreu após jovem furtar um chocolate do estabelecimento

Por
Agência Brasil

publicidade

A Polícia Civil de São Paulo prendeu, na tarde desta sexta-feira, um dos seguranças do Supermercado Ricoy, na Vila Joaniza, zona Sul da capital paulista, acusado de torturar um jovem de 17 anos que tentou furtar um chocolate. O segurança preso temporariamente é David de Oliveira Fernandes. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, David Fernandes será conduzido ao 80º Distrito Policial, na Vila Joaniza, onde prestará depoimento e permanecerá detido à disposição da Justiça. A prisão dele foi pedida pela Polícia Civil e autorizada pela juíza Tatiana Saes Ormeleze, do Fórum Criminal da Barra Funda. A juíza pediu também a prisão de Valdir Bispo dos Santos, outro segurança que participou da ação e está foragido.

O caso

O inquérito sobre o caso foi instaurado no 80º Distrito Policial após a divulgação nas redes sociais de imagens em que o rapaz, de 17 anos, aparece sendo chicoteado. No vídeo, o adolescente está nu e amordaçado enquanto apanha e é ameaçado pelos agentes de segurança do estabelecimento. A tortura é considerada crime hediondo e ocorre quando alguém é submetido, com emprego de violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental. A Lei 9.455, de 1997, prevê pena de 2 a 8 anos de prisão para quem cometer esse tipo de crime. Em nota enviada à imprensa na terça-feira, o Ricoy Supermercados diz que ficou "chocado" e "abalado" com a notícia sobre a tortura. "Os dois seguranças acusados de praticarem os atos são de empresa contratada terceirizada e não prestam mais serviço para nossos supermercados", informava a nota.