Policial militar catarinense baleado gravemente durante ataque em Criciúma tem alta da UTI

Policial militar catarinense baleado gravemente durante ataque em Criciúma tem alta da UTI

Estado de saúde do soldado Jeferson Luiz Esmeraldino, que segue internado, permanece grave

Correio do Povo

Ele foi atingido no abdômen por um tiro de fuzil no confronto com a quadrilha que roubou o Banco do Brasil

publicidade

Após um mês, o policial militar Jeferson Luiz Esmeraldino, 32 anos, da 3ª Companhia do 9º BPM de Criciúma, em Santa Catarina, deixou a UTI do Hospital São João Batista. Ele foi baleado no abdômen por um tiro de fuzil durante o confronto com a quadrilha que roubou em torno de R$ 80 milhões do cofre da tesouraria do Banco do Brasil de Criciúma, na madrugada do dia 1º de dezembro do ano passado. O soldado catarinense chegou a passar por três cirurgias depois de ter sido ferido gravemente.

“A 6° Região de Polícia Militar informa que o Sd PM Esmeraldino não se encontra mais internado em unidade de terapia intensiva, muito embora o quadro ainda seja de gravidade. O Policial Militar segue não sedado e com respiração controlada periodicamente com uso de aparelho de ventilação com pressão positiva. Ainda se nota presença de picos febris e crises convulsivas. A PMSC agradece a todos! Seguiremos em vigília e em orações”, informou a Polícia Militar de SC em nota oficial nas redes sociais.

A Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil de SC mantém a apuração sobre o ataque. Até o momento foram realizadas as prisões de 14 suspeitos de participação no assalto milionário, cometido por uma quadrilha com mais de 30 criminosos, em sua maioria paulistas e com possibilidade de ligação com a facção Primeiro Comando da Capital (PCC). Cinco dos detidos foram capturados em São Leopoldo, Gramado e entre Morrinhos e Três Cachoeiras, no Rio Grande do Sul.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895