Preso o último integrante do grupo criminoso que praticava sequestros relâmpagos em Campo Bom

Preso o último integrante do grupo criminoso que praticava sequestros relâmpagos em Campo Bom

Foragido foi capturado pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de Caxias do Sul

Correio do Povo

Ação prestou apoio à investigação no Vale do Rio dos Sinos

publicidade

A Polícia Civil prendeu o último integrante do grupo criminoso que praticava sequestros relâmpagos em Campo Bom, no Vale do Rio dos Sinos. Nessa sexta-feira, a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de Caxias do Sul capturou o foragido.

Na última segunda-feira, a DP de Campo Bom, sob comando do delegado Rodrigo Câmara, realizou uma operação que resultou na prisão de quatro suspeitos. Três veículos, telefones celulares, cartões bancários e uma arma de fogo foram apreendidos na ocasião.

A investigação, que durou três meses, buscou identificar e prender o grupo criminoso responsável pelos crimes de extorsão qualificada pela restrição da liberdade das vítimas (sequestro-relâmpago), roubo majorado pelo emprego de arma de fogo, em concurso de pessoas e com restrição da liberdade das vítimas, além do delito de associação criminosa.

Segundo o delegado Rodrigo Câmara, as vítimas eram aliciadas através de aplicativos de relacionamento, sendo atraídas para Campo Bom, onde eram levadas até um cativeiro. Elas ficavam amarradas por até 22 horas, enquanto os criminosos subtraíam, com o emprego de violência e grave ameaça, com arma de fogo, os telefones celulares e obrigavam as vítimas a fornecerem as senhas dos aplicativos bancários e dos cartões de crédito. Os bandidos faziam então transferências bancárias, compras simuladas em máquinas de cartão de crédito e até mesmo compras reais no comércio local.

Conforme o titular da DP de Campo Bom, a investigação prossegue para identificar os integrantes do grupo que ficaram responsáveis pelo recebimento do dinheiro subtraído das vítimas. Denúncias anônimas podem ser feitas pelo WhatsApp (51) 98401-3237. 


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895