Preso sexto suspeito de envolvimento no ataque a colégio em Cambé, no Paraná

Preso sexto suspeito de envolvimento no ataque a colégio em Cambé, no Paraná

Em Santo André, no ABC Paulista, policiais civis paranaenses capturaram jovem que instigou atirador a invadir escola em 20 de junho passado

Correio do Povo

Dois estudantes morreram após serem baleados no Colégio Estadual Professora Helena Kolody

publicidade

A sexta prisão de suspeitos envolvidos com o autor do ataque do Colégio Estadual Professora Helena Kolody, em Cambé, foi efetuada nesta segunda-feira pela Polícia Civil do Paraná. Trata-se de um jovem paulista de 19 anos, que teria participado ativamente do crime ao instigar o atirador, um ex-aluno da escola, de 21 anos, a realizar o ataque na manhã do dia 20 de junho passado, que resultou em dois estudantes mortos a tiros. No dia seguinte, o autor do atentado, que havia sido detido em seguida pela Polícia Militar, foi encontrado sem vida dentro da cela na Casa de Custódia de Londrina.

Um mandado de prisão preventiva foi cumprido na cidade de Santo André, que fica na região do ABC Paulista. A investigação policial apontou ainda que o suspeito seria um agressor em potencial e poderia cometer o próprio atentado dele em algum estabelecimento de ensino em São Paulo.

Além dele, os policiais civis paranaenses já detiveram três homens, de 21, 35 e 39 anos, em Rolândia, no Paraná, e um jovem de 18 anos em Gravatá, em Pernambuco, sendo que esse último apontado como mentor do paranaense que cometeu o crime e que mantinha contato por meio do aplicativo Discord,

Dois alunos morreram após serem baleados pelo atirador. Karoline Verri Alves, de 17 anos, teve óbito no local, e Luan Augusto, de 16 anos, sofreu uma parada cardiorrespiratória e morreu na madrugada desta terça-feira no Hospital Universitário de Londrina. Eles eram namorados há cerca de um ano e colegas de aula no 3º ano do ensino médio.

O trabalho investigativo prossegue por parte da Polícia Civil do Paraná. O trabalho tem apoio do Laboratório de Operações Cibernéticas (Ciberlab), vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895