Quadrilha que atacava estabelecimentos comerciais em Porto Alegre é alvo da Polícia Civil

Quadrilha que atacava estabelecimentos comerciais em Porto Alegre é alvo da Polícia Civil

Operação visa desarticular grupo criminmoso que roubava sobretudo farmácias

Por
Correio do Povo

Equipe tática da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) participou do cumprimento das ordens judiciais


publicidade

A Polícia Civil deflagrou a operação Panaceia ao amanhecer desta quarta-feira com o objetivo de combater uma quadrilha especializada em roubos contra estabelecimentos comerciais, sobretudo farmácias, em Porto Alegre. A ação é conduzida pela 8ª DP, sob comando da delegada Andrea Magno, e tem a participação da equipe tática da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE).

Houve o cumprimento de 12 mandados de prisão e de busca e apreensão nos bairros Lomba do Pinheiro, Menino Deus e Medianeira, na Capítal, além de Canoas e Gravataí. O Instituto Penal de Charqueadas também foi outro alvo das ordens judiciais. Três suspeitos foram presos, sendo recolhidos produtos roubados e ainda dinheiro e drogas.

Um dos assaltos cometidos pela quadrilha ocorreu no dia 30 de maio deste ano. Cinco criminosos armados atacaram uma farmácia, sendo que três invadiram o local. Em 20 minutos, eles roubaram cerca de R$ 14 mil em dinheiro e pertences de funcionários e clientes. “Três indivíduos armados ingressaram no estabelecimento comercial e renderam clientes e funcionários. Todos eram imediatamente revistados, com a subtração de seus pertences pessoais, e colocados deitados no chão em uma sala onde funciona o escritório do gerente”, relatou a titular da 8ª DP.

Segundo a delegada Andrea, um dos assaltantes parecia ser o líder do grupo. O indivíduo estava violento e ameaçava atirar por diversas ocasiões, apontando a arma para a cabeça das vítimas e xingando-as.


A diretora do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM) da Polícia Civil, delegada Adriana Regina da Costa, destacou que o órgão tem realizado um acompanhamento dos roubos a farmácias desde o final do ano passado, inclusive sendo feito um trabalho conjunto com a Brigada Militar. Desde o início deste ano, um total de 18 criminosos já foram identificados e presos. Ela lembrou que a atuação prevê ainda uma comunicação entre as forças policiais e os estabelecimentos comerciais, através de grupos de WhatsApp.