Trabalhadores resgatados em vinícolas do RS recebem verbas rescisórias de terceirizada

Trabalhadores resgatados em vinícolas do RS recebem verbas rescisórias de terceirizada

Grupo empresarial Fênix Serviços de Apoio Administrativo recusou acordo por não entender a existência de trabalho análogo à escravidão

Correio do Povo

Maioria dos resgatados veio do estado da Bahia

publicidade

O Ministério Público do Trabalho do Rio Grande do Sul comunicou, nesta quinta-feira, que os trabalhadores resgatados nas vinícolas em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, receberam suas verbas rescisórias do Grupo Especial de Atuação Finalística (GEAF).

A empresa não aceitou a proposta de acordo apresentada pelo MPT-RS, especialmente o pagamento de indenização individual aos trabalhadores resgatados, por não reconhecer a ocorrência de trabalho em condições análogas à escravidão. 

O acerto ocorreu durante a audiência telepresencial, com participação de procuradores e procuradores do Grupo Especial de Atuação Finalística (GEAF), força-tarefa especial criada para atuar no caso de Bento Gonçalves reunindo integrantes do MPT na Bahia e no Rio Grande do Sul. 

Os representantes legais da empresa apresentaram a documentação comprovando o pagamento das verbas rescisórias aos resgatados, fixadas em TAC emergencial firmado na sexta-feira.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895