Barroso determina arquivamento de inquérito da Odebrecht contra senador do PSDB

Barroso determina arquivamento de inquérito da Odebrecht contra senador do PSDB

Ferraço diz que foi envolvido em uma delação irresponsável

AE

Barroso determina arquivamento de inquérito da Odebrecht contra senador do PSDB

publicidade

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o arquivamento de um inquérito instaurado com base na delação da Odebrecht contra o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES). O inquérito investigava a suspeita de que o senador teria sido favorecido com um repasse via caixa 2 de R$ 400 mil à sua campanha ao Senado Federal em 2010. O inquérito foi instaurado em 4 de abril de 2017.

Em sua decisão, Barroso apontou que, esgotado o prazo para a conclusão das investigações, o Ministério Público, "ciente de que deveria apresentar manifestação conclusiva, limitou-se a requerer a remessa dos autos ao Juízo que considera competente", no caso o Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Espírito Santo. "Não é portanto razoável que, tendo se encerrado o prazo para a conclusão das investigações, sejam agora os autos baixados para a nova apreciação dos fatos, o que obrigaria o investigado suportar, indefinidamente, o ônus de figurar como objeto de investigação, impondo-se, assim, o arquivamento dos autos", concluiu Barroso.

"A investigação se iniciou há mais de um ano. O investigado se mostrou, a todo tempo, extremamente colaborativo. Vencido o prazo para a conclusão do inquérito e suas sucessivas prorrogações, o Ministério Público entende não haver nos autos elementos suficientes à instauração da instância, na medida em que, até o momento, não ofereceu denúncia", observou o ministro.

Justiça feita

Procurado pela reportagem, Ferraço disse que sempre acreditou que a "Justiça seria feita". "Eu sempre acreditei na minha inocência. Eu fui envolvido numa delação irresponsável, inconsequente, que nunca dialogou com a vida real, nem com os fatos. Foram muitos meses de um profundo sofrimento pessoal em ver o nome da gente, a imagem da gente exposta da forma mais violenta possível e graças a Deus esse processo chega ao fim com o STF determinando o arquivamento. Sempre acreditei que a Justiça seria feita", disse o senador à reportagem.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895