Bolsonaro diz que reza para ''não fecharem tudo de novo'' no país

Bolsonaro diz que reza para ''não fecharem tudo de novo'' no país

Presidente participou de cerimônia de 160 anos da Caixa Econômica Federal, realizada no Palácio do Planalto nesta manhã

R7

Presidente participou de cerimônia de aniversário de 160 anos da Caixa

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro declarou nesta terça-feira, durante a cerimônia de aniversário de 160 anos da Caixa, que reza para que governadores e prefeitos não fechem de novo seus Estados e municípios para combater o avanço da Covid-19. Ele voltou a dizer que vida e economia andam juntas.
Bolsonaro declarou que a "política não pensada do feche tudo, a economia a gente vê depois" por pouco não causou uma crise ainda maior no país. "Peço a Deus para iluminar os prefeitos e governadores para não fecharem tudo."

Segundo o presidente, o governo federal soube dar as respostas que o povo precisava em meio à pandemia. Citou a descoberta dos "invisíveis", 38 milhões de brasileiros que jamais haviam recebido qualquer benefício público, mas foram assistidos pelo auxílio emergencial, e as medidas do Ministério da Economia para preservar os empregos.

"Um governo, um povo, que mesmo em momentos difíceis, superou desafios, respeitamos a todos e trabalhamos arduamente. Nós não esmorecemos, buscamos alternativas. Um governo que não ceifou um só emprego, muito pelo contrário: manteve milhões de empregados pelo Brasil."

Veja Também

Bolsonaro declarou também que o governo está cada vez mais alinhado com o Congresso e disse que nunca em uma gestão federal a imprensa teve tanta liberdade. peço a deus para que ilumine governadores e prefeitos para que não fechem tudo. 

"Vocês nunca tiveram tanta liberdade como no meu governo, nunca se ouviu falar nesse governo em controle da mídia. Eu lamento o fechamento e a censura às mídias sociais. Elas não concorrem com vocês, uma segue paralela à outra", analisou.

Antes de Bolsonaro, falou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, que declarou que o banco já se desfez de 70 edifícios desde o início da atual gestão, há dois anos, e vai devolver mais 100 imóveis nos próximos anos.

Além do presidente e da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, estavam no evento o vice Hamilton Mourão, e os ministros Paulo Guedes, da Economia, Walter Braga Netto, da Casa Civil, e Onyx Lorenzoni, da Cidadania. Só Michelle e Guedes usavam máscara.

O ministro do Turismo, Gilson Machado, apareceu no meio da festa, tocando acordeon ao lado da banda que executava as músicas do evento.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895