BRDE assina contrato de financiamento de R$ 425 milhões com agência de desenvolvimento francesa

BRDE assina contrato de financiamento de R$ 425 milhões com agência de desenvolvimento francesa

Parceria permite maior condições de financiamento para projetos de "alto impacto social e ambiental"

Por
Felipe Samuel

Eduardo Leite participou da assinatura de financiamento com a BRDE e AFD nesta terça


publicidade

Dirigentes do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) assinaram nesta terça-feira um contrato de financiamento de 70 milhões de euros – cerca de R$ 425 milhões - junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

A confirmação do contrato com o órgão francês, que já viabilizou investimentos sustentáveis nos três estados da Região Sul, foi efetivada por meio de videoconferência e marca a segunda etapa de captação de recursos internacionais. A linha de crédito - que foi acertada sem aval do Governo Federal - é destinada a projetos de alto impacto socioambiental no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

O governador Eduardo Leite reforçou o papel do BRDE em apoio a governos, prefeituras e iniciativa privada e destacou que a AFD já viabilizou investimentos na Região Sul.

Leite explicou que a ideia é aplicar os recursos pela 'geração' atual de olho no futuro das próximas gerações. "Agora vamos a mais de R$ 400 milhões neste contrato de financiamento, consolidando esta parceria e dando passo conectado aos objetivos do desenvolvimento sustentável estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU)", observa.

Projetos de alto impacto social e ambiental

De acordo com Leite, a parceria permite maior condições de financiamento para projetos de 'alto impacto social e ambiental' através do BRDE. Ele afirmou que o Rio Grande do Sul tem investido em projetos pioneiros de produção sustentável.

"Tem uma empresa que implementou modelo conjugado de produção, com utilização de compostagem e biodigestores. Essa empresa produz cerca de 80 mil toneladas de adubo a partir de resíduos industriais e agropastoris orgânicos. A gente tem que incentivar esse tipo de iniciativa, agilizar liberação de licenças de operação para esses empreendimentos", garante.

Diretor da AFD no Brasil, Philippe Orliange explicou que o BRDE foi pioneiro na implantação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Brasil. Orliange afirmou que a AFD pretende aprimorar a relação com a Região Sul, onde já viabilizou investimentos nos setores de energia, desenvolvimento urbano e saneamento. "O financiamento é um bom exemplo do que pode ser feito com setor público brasileiro sem aval da União. Pode ser muito útil se usada para potencializar a agenda do saneamento após aprovação do marco legal do saneamento", esclarece.


Na avaliação do diretor-presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, o acordo com a agência francesa ocorre em meio à diversificação de ações do banco para oferecer linhas de crédito. Ele destacou que a primeira etapa de financiamento com a AFD, firmada em 2018, garantiu 50 milhões de euros para linhas em empreendimentos sustentáveis públicos e privados. Agora, a ideia é reforçar o desenvolvimento sustentável com eficiência energética. "Essa segunda etapa prevê linha de crédito de 10 milhões de euros para Santa Casa de Misericórdia", garante.