Câmara do DF pode começar hoje processo de sucessão
capa

Câmara do DF pode começar hoje processo de sucessão

Deputados iniciam aprovação abertura de processo de impeachment contra Arruda

Por
AE

publicidade

A largada oficial da sucessão do governador licenciado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), deverá ser dada nesta quinta-feira quando a Câmara Legislativa aprovar abertura de processo de impeachment contra o ex-Democratas. O processo é complexo porque o vice-governador Paulo Octávio também está envolvido nas denúncias do chamado "mensalão do DEM". Ele enfrenta dificuldades políticas para sobreviver no cargo e já fala em renúncia.

Os problemas não param por aí. Terceiro na linha sucessória, o presidente da Câmara Legislativa, Wilson Lima (PR), está sendo pressionado a abrir mão da pretensão de ocupar a cadeira de governador e o PT não quer nem ouvir falar na hipótese de o vice-presidente da Câmara, cabo Patrício, assumir o posto.

Nesse caso, o governo ficaria com o presidente do Tribunal de Justiça (TJ) do DF, desembargador Nívio Geraldo Gonçalves. Como o mandato de Nívio acaba em 26 de abril, os políticos trabalham com o nome do sucessor já eleito, desembargador Otávio Augusto Barbosa.

Intervenção

Se a Justiça decidir pelo relaxamento da prisão de Arruda, ele volta automaticamente à condição de governador do DF. Mesmo na cadeia, ele é o governador de fato. Apenas no caso de renúncia ou impeachment de Arruda é que a sucessão começará para valer. Para se livrar de um desgaste duplo, primeiro com Arruda e depois com o vice, a cúpula do DEM aposta na renúncia de ambos. E mais: torce para que o governo federal abrevie o desgaste decretando intervenção no DF.