Chuva atrapalha campanha de rua de Roberto Robaina

Chuva atrapalha campanha de rua de Roberto Robaina

Candidato ao governo do Estado pelo PSol optou por atos de aproximação com possíveis eleitores

Henrique Massaro

Robaina se reuniu com as candidatas do partido a deputada estadual e federal, Luciana Genro e Fernanda Melchionna

publicidade

O tempo instável desta semana em Porto Alegre atrapalhou o candidato a governador Roberto Robaina (PSol), que programou atividades de rua para sua última semana de campanha. Com apenas 11 segundos do horário eleitoral, o postulante ao Piratini optou por atos de aproximação de possíveis eleitores. Na tarde desta terça-feira, ele se reuniu com as candidatas do partido a deputada estadual e federal, Luciana Genro e Fernanda Melchionna, em uma panfletagem na rua General Câmara, no Centro Histórico, que, em função da chuva, durou cerca de meia hora.

Para esta quarta-feira, o candidato tem previstas novas panfletagens, às 11h30min, junto ao POP Center da rua Voluntários da Pátria, e às 16h30min na Estação Mercado da Trensurb. A programação, no entanto, pode ser alterada em caso de chuva. Às 22h, Robaina participa do debate da RBS TV. Na quinta-feira, retorna às atividades de rua, com exceção do início da tarde, quando cumpre agenda de vereador em sessão na Câmara. A postura de campanha, segundo ele, não deve ser alterada nos últimos dias. “Buscamos, na verdade, mostrar que somos um partido que combate a extrema-direita, os privilégios e que não está na Lava Jato”, declarou.

Uma das principais pautas a ser mantida é a de combate à sonegação e o discurso de que, com isso, o Estado seria superavitário. Com uma arrecadação adequada, a estimativa, conforme Robaina, é de que o Rio Grande do Sul possa arrecadar R$ 8 bilhões ao ano. Para isso, é necessário a nomeação de mais auditores e técnicos da Receita Estadual, que hoje representam a metade do necessário - conforme o Sindifisco e a Afocefe, atualmente são 430 auditores e 700 técnicos ativos – e uma cobrança mais incisiva. “Temos tentado demonstrar é que existem recursos se tiver combate efetivo a privilégios e, principalmente, à sonegação”, afirmou.

A fiscalização tributária é uma das maneiras de cumprir uma das principais propostas do candidato: a construção de 100 mil moradias populares. Robaina, que, inclusive, visitou na manhã de segunda-feira a Ocupação São Luiz, na zona norte de Porto Alegre, pretende viabilizar o projeto com o investimento anual de R$ 2 bilhões, que serão garantidos através de sua política de combate à sonegação.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895