Defesa de Glenn Greenwald diz que denúncia do MPF é "expediente tosco"
capa

Defesa de Glenn Greenwald diz que denúncia do MPF é "expediente tosco"

Advogado também afirma que medida é uma tentativa de "depreciar o trabalho jornalístico"

Por
AE

Jornalista e outras seis pessoas foram denunciadas


publicidade

Em nota encaminhada ao jornal O Estado de S. Paulo, o advogado Rafael Borges, que defende o jornalista Glenn Greenwald, classificou de "expediente tosco" a denúncia oferecida nesta terça-feira pelo Ministério Público Federal (MPF). Segundo o texto, a instituição intenta "desrespeitar a autoridade da medida cautelar" concedida pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), em defesa de seu cliente. "Recebemos com perplexidade a informação de que há uma denúncia contra o jornalista Glenn Greenwald, cofundador do The Intercept. Trata-se de um expediente tosco que visa desrespeitar a autoridade da medida cautelar concedida na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) nº 601, do Supremo Tribunal Federal, para além de ferir a liberdade de imprensa e servir como instrumento de disputa política", diz o comunicado.

A defesa do interpreta a denúncia do MPF como uma tentativa de "depreciar o trabalho jornalístico" feito pela equipe do site The Intercept Brasil, que divulgou as mensagens supostamente trocadas entre membros do MPF de Curitiba e o então juiz federal, hoje ministro da Justiça, Sergio Moro. O caso ficou conhecido como "Vaza Jato".

Nesta terça, o MPF ofereceu denúncia contra Glenn Greenwald e outras seis pessoas. Os procuradores tiveram acesso a conversas entre invasores de arquivos de mensagens e o jornalista. Pelos diálogos, concluíram que Greenwald agiu "como partícipe nas condutas, funcionando como garantidor e orientador da associação criminosa", conforme a denúncia.


Leia a nota na íntegra:

"Recebemos com perplexidade a informação de que há uma denúncia contra o jornalista Glenn Greenwald, cofundador do The Intercept. Trata-se de um expediente tosco que visa desrespeitar a autoridade da medida cautelar concedida na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) nº 601, do Supremo Tribunal Federal, para além de ferir a liberdade de imprensa e servir como instrumento de disputa política. Seu objetivo é depreciar o trabalho jornalístico de divulgação de mensagens realizado pela equipe do The Intercept Brasil em parceria com outros veículos da mídia nacional e estrangeira. Os advogados de Glenn Greenwald preparam a medida judicial cabível e pedirão que a Associação Brasileira de Imprensa, por sua importância e representatividade, cerre fileiras em defesa do jornalista agredido."