Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo viram réus no processo da Lava Jato

Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo viram réus no processo da Lava Jato

Casal é investigado por suposto recebimento de propina de contratos entre Petrobras e empreiteiras

Correio do Povo

Gleisi Hoffmann e o marido viram réus na Lava Jato

publicidade

Em julgamento na tarde desta terça-feira, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o marido dela, o ex-ministro do Planejamento do Paulo Bernardo viraram réus no processo da Operação Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro. A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) acolheu a denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por unanimidade. O primeiro a votar foi o relator do processo, ministro Teori Zavascki. Em seguida, Celso de Mello, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski votaram a favor da denúncia.

Gleisi e Bernardo são investigados por suposto recebimento de R$ 1 milhão de propina de contratos firmados entre empreiteiras e a estatal. O dinheiro teria sido usado para abastecer a campanha eleitoral dela em 2010. O casal nega a acusação. O pagamento teria sido ordenado por Paulo Roberto Costa (ex-diretor da Petrobras) e operacionalizado pelo doleiro Alberto Youssef.

Em documento encaminhado ao Supremo, a defesa do casal diz que as acusações são “meras conjecturas feitas às pressas” em função de acordos de delação premiada. “A requerida (senadora) jamais praticou qualquer ato que pudesse ser caracterizado como ato ilícito, especialmente no bojo do pleito eleitoral ao Senado Federal no ano de 2010, na medida em que todas as suas contas de campanha foram declaradas e integralmente aprovadas pela Justiça Eleitoral.”

Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895