Governo anuncia comitê com os três poderes para combater pandemia

Governo anuncia comitê com os três poderes para combater pandemia

Medida ocorre após série de críticas em relação à má gestão do governo na crise sanitária, que já matou quase 300 mil brasileiros

R7

Governo anuncia comitê com os três poderes para combater pandemia

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro anunciou na manhã desta quarta-feira (24) a criação de um comitê de enfrentamento à Covid-19 com a participação de representantes dos três poderes. A medida ocorre após uma série de críticas em relação à má administração do governo federal da crise sanitária que já matou quase 300 mil brasileiros.

O grupo, que contará com a participação de governos estaduais e municipais, ministérios e outros órgãos da administração federal, deverá se reunir semanalmente para definir políticas nacionais uniformes para lidar com a pandemia.

Participaram do encontro, no Palácio da Alvorada, os presidentes do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), além do vice-presidente da República, Hamilton Mourão - veja a lista dos participantes abaixo.

"Reunião bastante proveitosa. Mais do que harmonia, imperou a solidariedade e intenção de minimizarmos os efeitos da pandemia. Vida em primeiro lugar", afirmou Bolsonaro em entrevista coletiva após o encontro. "Será criada uma coordenação junto aos governadores. A intenção é dedicar cada vez mais vacinação Brasil."

Veja Também

Tratamento precoce 

Apesar da mudança de tom no discurso, o presidente insistiu no tratamento precoce, que não tem, até o momento, qualquer evidência científica de eficácia. "Discutimos também a possibilidade de tratamento precoce, que fica a cargo do novo ministro da Saúde. Uma nova cepa ou novo vírus apareceu. Precisamos dar atendimento adequado às pessoas. Não temos ainda o remédio. [...] Estamos no caminho para o Brasil sair dessa situação complicada", disse.

O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou na sequência que a reunião foi "de alto nível", com harmonia entre os três poderes.

"Nosso objetivo é o fortalecimento do SUS nos três niveis (União, Estados e municípios) para prover à população, com agilidade, uma campanha de vacinação capaz de reduzir circulacao do vírus", disse. "Vamos fortalecer a assistência nos três niveis [do SUS] com criação de protocolos assistenciais. O sistema de saúde do Brasil dará a resposta que a populacao brasileira quer. Toda a nação se une agora para que cumpramos nosso dever."

Reunião para "desarmar os espíritos"

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) ressaltou que a reunião foi "a expressão pura daquilo que a sociedade brasileria espera dos homens públicos". "A doença de agora é diferente daquela de 2020 e nos impõe o dever cívico e de responsabilidade. Essa união significa um pacto nacional liderado por quem a sociedade espera que lidere, que é o presidente Jair Bolsonaro", disse Pacheco.

Para o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), a reunião serviu para "desarmar os espíritos e falarmos uma linguagem só". "Comunicação adequada com todos os dados para que a população tenha toda assistência, acompanhamento pari passu para termos rumo coordenado sob a supervisão do presidente da República. Termos único discurso, única direcao nacional", afirmou. 

O presidente do STF, Luiz Fux, destacou que o poder judiciário não pode, por força de lei, participar diretamente do comitê, mas diante da emergência nacional e necessidades de soluções rápidas, vai buscar estratégias para evitar a judicialização de ações. "Exemplo e esperança, esse é binômio", disse.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895