"Hackers não vão interferir na missão", afirmou Moro
capa

"Hackers não vão interferir na missão", afirmou Moro

Após escândalos envolvendo vazamentos, ministro tenta emplacar agenda positiva

Por
AE

Ministro apresentou dados do Sinesp que registram queda em crimes violentos no País

publicidade

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, postou na manhã desta quarta-feira, em seu Twitter dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp) que registram queda nos crimes em todo o País. O ex-juiz da Lava Jato fez um apelo ao afirmar que "ajudaria a aprofundar a queda nos crimes a aprovação do projeto anticrime, mas respeitamos a prioridade da Nova Previdência". Moro disse também que "hackers de juízes, procuradores, jornalistas e talvez parlamentares, bem como escândalos falsos, não vão interferir na missão".

 

Moro ressaltou que do primeiro bimestre do ano passado para o mesmo período deste ano os homicídios apresentaram queda de 23%. A divulgação da agenda positiva vem na esteira dos vazamentos de conversas entre o ministro e o procurador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol.

Moro ainda fez ressalvas quanto aos dados da segurança, afirmando que precisa trabalhar para a redução ser "permanente e constante", além de citar que muitos fatores influenciaram a queda nos crimes, portanto "o mérito não é só do governo federal, mas também dos estaduais e distrital". O ministro também afirmou que apesar da redução, "os números ainda são altos, precisamos trabalhar muito mais".

As reações à publicação de Moro são majoritariamente de apoio à sua atuação tanto como ministro, quanto como juiz da Lava Jato, embora alguns internautas o critiquem por conta dos vazamentos revelados pelo site The Intercept.