Joesley já está na Justiça Federal em São Paulo para audiência
capa

Joesley já está na Justiça Federal em São Paulo para audiência

Para Bottini, advogado de defesa de Joesley, está ocorrendo um excesso da Justiça

Por
Agência Brasil

Para Bottini, advogado de defesa de Joesley, está ocorrendo um excesso da Justiça

publicidade

O empresário Joesley Batista, da J&F, chegou por volta das 15h30 à Justiça Federal em São Paulo, onde será ouvido em audiência de custódia na investigação do processo que apura se ele e o irmão, Wesley Batista, teriam usado de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro, a chamada de Operação Tendão de Aquiles. Antes da audiência ter início, o advogado de defesa de Joesley, Pierpalo Bottini, adiantou que o empresário "pretende narrar, mais uma vez, a impressão deles dos fatos".

Bottini criticou a decisão do Tribunal Regional Federal 3, que negou hoje os dois pedidos de habeas corpus para os irmãos Batista. Segundo o advogado, a defesa entende a prisão dos dois como "absolutamente frágil". "Estamos impetrando hoje um habeas corpus no STJ [Superior Tribunal de Justiça] para tentar rever e corrigir a ilegalidade dessa prisão".

Para Bottini, está ocorrendo um excesso da Justiça. "Não há qualquer elemento novo que justifique essa prisão. Todos os elementos que foram usados para decretar a prisão já eram do conhecimento do MP [Ministério Público] e do juiz há meses e nunca foi decretada essa prisão. Teve busca e apreensão, eles se apresentaram à Justiça, prestaram depoimento, entregaram todos os documentos, de forma que não há qualquer razão para a decretação [da prisão] nesse momento".

O advogado disse ainda não saber, ainda, para onde seu cliente será levado após a audiência. "Mas o fundamental é garantir a segurança dele. Ele é um colaborador. Colocá-lo em sistema prisional comum é temerário. Por isso, pedimos que ele fique na PF [Polícia Federal]".