Justiça do Rio manda Flordelis usar tornozeleira eletrônica

Justiça do Rio manda Flordelis usar tornozeleira eletrônica

Uma das justificativas para a decisão foi a dificuldade para localizar a parlamentar até na Câmara dos Deputados

R7

Decião também impõe o recolhimento domiciliar noturno da parlamentar

publicidade

A Justiça do Rio de Janeiro determinou nesta sexta-feira o monitoramento por tornozeleira eletrônica da deputada federal Flordelis, acusada de mandar matar o marido, o pastor Anderson do Carmo. A decisão do juiz Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, também impõe o recolhimento domiciliar noturno da parlamentar. 

Entre as justificativas, o magistrado ressaltou o "quadro de incerteza acerca do paradeiro da ré Flordelis". O juiz citou ainda a dificuldade de localizar a deputada federal na Câmara dos Deputados. 

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) também havia pedido o afastamento deputada federal das funções, o que não foi acolhido pelo juiz. earis considerou que os crimes “imputados a ré Flordelis não guardam relação direta com a função parlamentar”, seguindo uma decisão anterior do STF (Supremo Tribunal Federal).


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895