Líder do governo Marchezan propõe cursos para os cobradores de ônibus de Porto Alegre
capa

Líder do governo Marchezan propõe cursos para os cobradores de ônibus de Porto Alegre

Mauro Pinheiro defendeu proposta de exclusão dos profissionais como maneira a reduzir o custo das passagens nos ônibus

Por
Cláudio Isaías

Pacote "Transporte Cidadão" foi protocolado com pedido de sessão extraordinária para esta semana na Câmara de Vereadores

publicidade

A realização de cursos profissionalizantes para que os cobradores de ônibus de Porto Alegre assumam outras funções é uma das propostas defendidas pelo vereador Mauro Pinheiro (Rede), líder do governo na Câmara de Vereadores, com relação ao projeto de retirada dos profissionais do transporte coletivo. Ele informou que o governo está conversando para que a proposta seja construída junto com as empresas.

"Temos acompanhado no mundo inteiro que a função de cobrador vai se extinguindo com o passar do tempo pela falta de necessidade", explicou. Segundo Pinheiro, os valores das passagens estão muito elevados e por isso é preciso buscar formas de diminuir esses preços porque quem acaba sofrendo com isso são os trabalhadores que pagam um preço mais elevado pela tarifa.

Conforme o vereador, o transporte coletivo passa por um momento difícil, principalmente, com a entrada dos aplicativos e de outros modais de transporte que diminuíram o número de passageiros nos ônibus. "Se nada for feito, nós teremos um valor da passagem muito alto em 2020, e com isso inviabilizando o sistema de transporte coletivo cada vez mais", acrescentou.

Mauro Pinheiro informou que o projeto está em tramitação em regime de urgência e deve ser votado no mês de dezembro deste ano. No dia 2 de dezembro, uma audiência pública será realizada no Legislativo municipal para debater o projeto.

O vereador Paulinho Motorista (PSB) disse que o projeto nem deveria ter ido para Câmara de Vereadores. "É uma proposta que vai gerar mais desemprego em Porto Alegre. Esse projeto não pode passar porque queremos os nossos cobradores trabalhando para o resto da vida nos ônibus", explicou o vereador que durante 24 anos atuou como motorista de ônibus.

Segundo o vereador, desde que o prefeito Nelson Marchezan Júnior assumiu a intenção sempre foi de tirar os cobradores dos ônibus. "Esse projeto vai atingir 3,5 mil profissionais e a vida de aproximadamente 15 mil pessoas", ressaltou.

Apesar de ter sido apresentado ainda em 2017, o projeto agora tramita em regime de urgência, o que indica que poderá ser votado no mês de dezembro. De acordo com o projeto, a tripulação do sistema do transporte coletivo por ônibus, composta por motoristas e cobradores, poderá sofrer redução gradativa de sua composição, com a exclusão dos cobradores, nas seguintes hipóteses: rescisão do contrato de trabalho por iniciativa do cobrador; despedida por justa causa; aposentadoria; falecimento do empregado; interrupção ou suspensão do contrato de trabalho; na prestação do serviço de transporte coletivo por ônibus cuja viagem tenha iniciado entre as 22h e 4h; na prestação do serviço nos domingos, feriados e dias de passe livre.

Na sua justificativa ao projeto, o prefeito Nelson Marchezan Júnior afirmou que a legislação proposta pretende possibilitar que a operação do transporte coletivo por ônibus migre, gradativamente, para um modelo em que a cobrança da tarifa seja efetuada por meio de novas tecnologias de pagamento, que possibilitem ao usuário interagir diretamente com equipamentos de controle embarcados.