Leite busca apoio para projeto de gasoduto no Rio Grande do Sul
capa

Leite busca apoio para projeto de gasoduto no Rio Grande do Sul

Projeto entre Uruguaiana e Porto Alegre marcou o encontro entre o governador e integrantes do Banco de Desenvolvimento da América Latina

Por
Mauren Xavier

Comitiva do governo faz visita ao Banco de Desenvolvimento da América Latina

publicidade

Reforçar a importância do projeto de construção de 565 quilômetros de gasoduto entre Uruguaiana e Porto Alegre marcou o encontro entre o governador Eduardo Leite e integrantes do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), nesta quarta em Montevidéu, no Uruguai, durante missão governamental. “Discutimos a possibilidade da agência (CAF) ser um banco de financiamento de projetos importantes na infraestrutura, especialmente ligados ao gasoduto", ressaltou Leite, ao final do encontro com o representante encarregado do CAF, François Borit, e o vice-presidente de Infraestrutura Antônio Silveira, que participou por web conferência. 

A questão ganha ainda mais relevância no momento em que o governo estadual quer privatizar a Sulgás. Citou ainda o desenvolvimento de uma política agressiva por parte do governo federal para tornar o gás mais barato no país. 

A sinalização positiva do CAF é relevante, uma vez que trata-se de uma instituição financeira que apoia o desenvolvimento dos países da América Latina. "Estamos tentando mapear os caminhos possíveis. Tem esse lado do financiamento, provocando o governo federal, conectando essas pontes para viabilizar esse investimento que pode ser muito interessante para o Brasil e Rio Grande do Sul". 

Quando viabilizado, o gasoduto fechará o chamado anel do Cone Sul. Na prática, permitirá que o mercado argentino use o gás natural brasileiro e vice e versa. Um exemplo é a utilização do gás da chamada bacía de Vaca Muerta, em solo argentino. As estimativas iniciais giram em torno de 600 milhões de dólares para viabilizar o projeto. Segundo o deputado estadual Frederico Antunes, que também integra a Comissão do Mercosul e Assuntos Internacionais, se pronto, o Estado poderá ter a sua capacidade de geração de energia elevada, podendo fazer negócios com os outros países.  

Ponte em Jaguarão recebe atenção  

A restauração primeira ponte que ligou o Brasil à América Latina, em Jaguarão, na divisa com Rio Branco, no Uruguai, também esteve em debate na reunião com o CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina). Segundo o deputado federal Carlos Gomes, que tem acompanhado o processo, as estimativas atuais giram em torno de R$ 25 milhões para a revitalização. "É fundamental o restauro pelo seu valor histórico e por ser uma importante ligação entre as duas cidades", ressaltou, após o encontro.  
O vice-presidente de Infraestrutura do CAF, Antônio Silveira, destacou que há um diagnóstico recente das condições da ponte, no governo federal. Porém, seria necessário realizar uma atualização. Assim, é possível que o processo seja agilizado. 

Além disso, já estão em andamento o processo para a construção de uma nova ligação de Jaguarão, por meio governo federal, no valor de R$ 300 milhões. Segundo o deputado, a licitação deve sair até o final deste ano.