Leite discute adesão à Recuperação Fiscal com Guedes
capa

Leite discute adesão à Recuperação Fiscal com Guedes

Em Brasília, o governador também conversou com o novo presidente do BNDES

Por
Correio do Povo

Governador Eduardo Leite encontrou-se com o ministro da Economia, Paulo Guedes

publicidade

Em Brasília, o governador Eduardo Leite (PSDB) manteve reuniões para encaminhamentos de pautas do governo gaúcho junto à União, em especial sobre o Regime de Recuperação Fiscal (RRF). Acompanhado por uma comitiva de secretários, Leite encontrou-se com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e com o novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano.

Com Guedes, o governador atualizou passos de sua política de privatizações e conversou sobre a adesão do Estado ao Regime de Recuperação Fiscal. "Falamos sobre algumas iniciativas na área energética, que são bastante importantes e que fazem parte da política do Ministério da Economia. Sobre o Regime de Recuperação Fiscal, estamos em uma fase de ajustes e de conversas com a Secretaria do Tesouro Nacional", explicou o governador, em nota distribuída ao final da tarde pela Palácio Piratini.

Segundo Leite, com a aprovação dos projetos de lei que autorizam a venda de estatais, os técnicos do governo intensificaram o contato com o Tesouro para agilizar a adesão ao RRF. Conforme o Piratini, nas últimas semanas, o Estado e a União têm conversado sobre ajustes nas documentações. Leite reiterou sua expectativa de que a adesão ocorra ainda neste semestre.

Em reunião na sede do BNDES, o governador apresentou ao presidente do banco os principais projetos do Estado para firmar acordos com a iniciativa privada. Além de medidas que já estão sendo desenvolvidas com o BNDES, como as modelagens das privatizações da CEEE, da CRM e da Sulgás, Leite reforçou a intenção de ampliar as parcerias.

"Estamos com uma agenda bastante determinada de privatizações. O Estado do Rio Grande do Sul é o que mais avança nessa pauta entre todos os outros entes federativos. Pretendemos estender a parceria com o BNDES para projetos de concessões de rodovias, hidrovias, aeroportos e presídios", detalhou.