ONU pede "contenção" após assassinato de cientista iraniano

ONU pede "contenção" após assassinato de cientista iraniano

Irã culpou Israel pelo assassinato de Mohsen Fakhrizadeh na sexta-feira e ameaçou se vingar

AFP

Tensões aumentaram no Oriente Médio com o assassinato de um importante cientista que trabalhava no programa nuclear iraniano

publicidade

As Nações Unidas pediram neste sábado "contenção" depois que as tensões aumentaram no Oriente Médio com o assassinato de um importante cientista que trabalhava no programa nuclear iraniano.

"Apelamos à contenção e à necessidade de evitar qualquer ação que possa levar a uma escalada das tensões na região. Condenamos qualquer assassinato ou execução extrajudicial", disse um porta-voz da ONU.

O Irã culpou Israel pelo assassinato de Mohsen Fakhrizadeh na sexta-feira e ameaçou se vingar. Desde a sexta-feira, o embaixador iraniano na ONU, Majid Takht Ravanchi, pediu em uma carta ao Secretário-Geral da ONU, Antonio Guterres, e ao Conselho de Segurança que condenassem claramente o assassinato de Fakhrizadeh, chefe do departamento de pesquisa e inovação do Ministério da Defesa.

Entre suas últimas missões diplomáticas, este cientista teria "supervisionado o desenvolvimento de uma vacina" contra a Covid-19, garantiu o embaixador iraniano em sua carta. Mohson Fakhrizadeh, de 59 anos, morreu em decorrência de ferimentos graves causados por um tiroteio e um ataque a seu carro com um veículo carregado de explosivos.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895