Para Mourão, coronavírus é "epidemia da Internet" e pânico "não é compatível com a realidade"
capa

Para Mourão, coronavírus é "epidemia da Internet" e pânico "não é compatível com a realidade"

Vice-presidente, que está no exercício da Presidência com a viagem de Bolsonaro aos EUA, disse que ninguém comenta sobre o número de morto pela dengue

Por
Agência Brasil

Para o vice-presidente, a partir do momento que a situação da China melhorar, os mercados vão se reequilibrar


publicidade

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, defendeu nesta segunda-feira que a crise mundial em razão do coronavírus é transitória e que o "pânico" da população com a disseminação do vírus pelo mundo não condiz com a realidade. No Brasil, 25 casos foram confirmados e 664 são considerados suspeitos. No mundo, os casos confirmados já passaram de 111 mil, com 3,8 mil mortes. "Não está muito bem, mas é uma questão transitória, a gente sabe que essa é a primeira epidemia da Internet, por isso existe um pânico que não é compatível com a realidade, apesar de ter havido mortes. Vamos olhar, só aqui no Brasil, quantas pessoas morreram de dengue esse ano e ninguém comentou", diss

O vice-presidente, que está no exercício da Presidência com a viagem do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos, apontou que bolsas do mundo todo abriram em queda nesta segunda-feira abaladas pela epidemia do coronavírus e pela queda dos preços do petróleo. Para o vice-presidente, a partir do momento que a situação da China melhorar, os mercados vão se reequilibrar.


"A atividade econômica está caindo porque as pessoas estão deixando de trabalhar, principalmente em países que são motor da economia mundial, como a China. É uma situação normal, transitória, acredito que mais uns dois meses, a partir do momento que a situação da China melhorar, os mercados vão se reequilibrar", explicou.