PEC do novo auxílio emergencial será retomada nesta semana

PEC do novo auxílio emergencial será retomada nesta semana

Novo benefício deve atingir 40 milhões de brasileiros, incluindo os do Bolsa Família, com valor que poderá chegar a R$ 250

R7

A PEC Emergencial seria inicialmente votada na quinta-feira

publicidade

Depois de ter sua tramitação atrasada, a PEC (Proposta de Emenda à Constiuição) Emergencial, que viabilizará a criação do novo auxílio emergencial, voltará à pauta do Senado Federal nesta terça-feira (2), com previsão de votação na quarta-feira (3). O novo benefício, consenso entre oposição e governo, deve atender cerca de atingir 40 milhões de brasileiros, incluindo os do Bolsa Família, com valor de R$ 250. 

A PEC Emergencial seria inicialmente votada na quinta-feira, mas foi adiada após mobilização da oposição contra os trechos da emenda que previam a retirada dos valores mínimos a serem gastos com as áreas de saúde e educação pela União, estados e municípios.

Foi marcada a discussão do texto, mas a apresentação do relatório da PEC também foi adiada, já que a proposta ainda estava com as cláusulas que desvinculam os gastos com as áreas. Como até mesmo partidos que geralmente votam com o governo no Senado desaprovaram a medida, os líderes do governo aceitaram apresentar o novo relatório nesta semana.

Caso seja aprovada pelo Senado, a PEC Emergencial começará a tramitar na CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania), que analisará a legalidade da proposta. Com a aprovação da CCJ, o texto terá seu mérito analisado por uma comissão especial. 

Depois, a proposta é analisada pelo plenário da Câmara dos Deputados, com a aprovação dependendo de votos favoráveis de 3/5 dos deputados da Casa (308), em dois turnos de votação. Caso a proposta aprovada pelo Senado seja aprovada pela Câmara sem mudanças, o texto poderá ser promulgado.

Veja o que se sabe sobre o novo auxílio emergencial

Encerrado oficialmente em dezembro do ano passado, depois de distribuir R$ 294 bilhões para 68 milhões de brasileiros no período de oito meses, o auxílio emergencial deve voltar a partir de março. O pagamento deve ser feito até o mês de junho. 

Novo Auxílio

- O chamado marco fiscal, com a PEC emergencial, o Pacto Federativo e a cláusula de calamidade, vai abrir espaço para o novo auxílio emergencial

- Mecanismo permite que o governo faça um novo endividamento, fora do teto de gastos, para pagar o auxílio emergencial

- O novo auxílio emergencial deve beneficiar 40 milhões de brasileiros, incluindo os 14 milhões do Bolsa Família

- Custo previsto é de cerca de 30 bilhões

- O valor do auxílio deve ficar entre R$ 250 e R$ 300

- O número de parcelas ainda não está fechado, podem ser 3 ou 4

 

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895