Renan Calheiros critica Rodrigo Pacheco por tentar paralisar trabalhos da CPI da Covid

Renan Calheiros critica Rodrigo Pacheco por tentar paralisar trabalhos da CPI da Covid

Além da possível paralisação devido ao recesso, o comando do colegiado também requer uma prorrogação do funcionamento da CPI por mais 90 dias

AE

Renan Calheiros criticou suposta tentativa do presidente do Senado de paralisar os trabalhos da CPI

publicidade

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), criticou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-AM) por querer paralisar os trabalhos do grupo devido a um recesso parlamentar, que deve ser iniciado a partir do dia 16 de julho. Para Calheiros existe "um esforço muito grande" para paralisar os trabalhos da CPI.

"O presidente do Senado, isso é lamentável, porque nós temos uma boa relação pessoal e política com ele, ele está querendo paralisar os trabalhos, a preceito de fazer um recesso que não é recesso. Não é razoável você paralisar nenhuma investigação", declarou Calheiros em entrevista à rádio CBN.

Além da possível paralisação dos trabalhos devido ao recesso, o comando do colegiado também requer uma prorrogação do funcionamento da CPI por mais 90 dias. O grupo já reuniu as assinaturas necessárias para estender os trabalhos, no entanto, a decisão ainda depende do aval do presidente do Senado.

Pacheco resiste à pressão para prorrogar a CPI. O parlamentar quer esperar e avalia consultar os líderes partidários da Casa para decidir sobre o adiamento. Para Calheiros existe "um esforço muito grande" para paralisar os trabalhos do grupo.

A ideia de prorrogar a CPI ganhou força na última semana. O colegiado quer investigar a ligação do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), com a compra de outras vacinas pelo Ministério da Saúde, além da Covaxin. Nestes casos, o quadro é parecido: vacinas mais caras compradas de laboratórios internacionais por meio de intermediários no Brasil, próximos do líder do governo. Além da Covaxin, as outras duas negociações envolvem a russa Sputnik V e a chinesa Convidecia. As suspeitas podem reforçar um pedido de convocação do deputado. Barros nega irregularidades.

Pouco antes das 10h desta quarta-feira, a CPI da Covid iniciou sessão para votar requerimentos e ouvir o empresário Carlos Wizard.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895