Senadores devem abdicar do embate e votar cessão onerosa do pré-sal, defende Major Olímpio
capa

Senadores devem abdicar do embate e votar cessão onerosa do pré-sal, defende Major Olímpio

Líder do PSL na Casa diz esperar posicionamento de Alcolumbre sobre a questão

Por
AE

Na semana passada, o desacordo fez com que os senadores reduzissem em R$ 76,4 bilhões a economia com a reforma em dez anos

publicidade

O senador Major Olímpio (PSL-SP), líder do partido do presidente Jair Bolsonaro no Senado, disse nesta segunda-feira, ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) que espera para "hoje à noite ou amanhã cedo" uma posição do presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), sobre o impasse em torno da divisão dos recursos da cessão onerosa do pré-sal entre estados e municípios. "Eu espero que não tenha mais impasse. Vamos tentar, dentro da política, sensibilizar as bancadas e os senadores para a gente votar (a reforma em segundo turno)", disse Major Olímpio, acrescentando que a discussão sobre a partilha dos recursos é legítima, mas que "pelo bem do País" os senadores devem abdicar do embate e votar o projeto.

Na semana passada, o desacordo fez com que os senadores reduzissem em R$ 76,4 bilhões a economia com a reforma em dez anos, com a derrubada de mudanças no pagamento do abono salarial durante a votação dos destaques ao projeto, após a aprovação em primeiro turno no Senado. Na manhã desta segunda-feira, em evento na Universidade Presbiteriana Mackenzie, o senador afirmou que "talvez consigamos votar Previdência em segundo turno no Senado no dia 22".

Major Olímpio disse que o Senado poderia tentar votar o projeto no dia 15, mas que para isso os senadores que viajarão ao Vaticano nesta semana para acompanhar a canonização de Irmã Dulce precisariam voltar ao Brasil na próxima segunda-feira, 14. "Mas eles vão estar ali em Roma, viajando com recursos públicos", ironizou.