Laboratório de Biotecnologia da UPF lança primeira cultivar de batata
capa



Laboratório de Biotecnologia da UPF lança primeira cultivar de batata

Além de excelente qualidade para ser preparada frita, ela tem alta produtividade e resistência a insetos

Por
Halder Ramos

Conforme a agrônoma Marilei Suzin, a Atlantucha possui alto teor de massa seca e baixa quantidade de açúcar

publicidade

O Laboratório de Biotecnologia da UPF lança nesta quinta-feira, 10h, na Expodireto, sua primeira cultivar de batata. Sob a denominação de UPFSZ Atlantucha, que é resultado de 10 anos de testes de seleção. Conforme a agrônoma Marilei Suzin, da UPF, responsável técnica do laboratório, a Atlantucha possui alto teor de massa seca e baixa quantidade de açúcar, o que faz com que tenha excelente qualidade para ser preparada frita.

Marilei observa que a batata foi originada do cruzamento da americana Atlantic com a Catucha, que foi desenvolvida pela Epagri, de Santa Catarina, e a Embrapa de Pelotas. “Após vários cruzamentos, chegamos ao clone que demonstrou ser superior. É uma batata preparada para a indústria”, explica.

Conforme a agrônoma, a batata possui alta produtividade e resistência a insetos e doenças, como a Requeima. “Não fizemos testes, mas pelas caraterísticas pode ser utilizada na agricultura familiar. Por ser resistente, não exige agrotóxicos”, diz.

Marilei conclui que a Atlantic não perde em qualidade nutricional. “A batata é uma fonte de alimento versátil. Tem alto teor de carboidratos e sais minerais e a Atlantic não deixa a desejar”, revelou.