Bolsonaro recebe apoio de simpatizantes e demonstra reconhecimento ao agro no RS

Bolsonaro recebe apoio de simpatizantes e demonstra reconhecimento ao agro no RS

Presidente recebeu a Medalha do Mérito Farroupilha ao visitar a 44ª Expointer neste sábado em Esteio

Correio do Povo e AE

Bolsonaro visitou a Expointer neste sábado

publicidade

Durante pouco mais de três horas, o presidente Jair Bolsonaro visitou neste sábado a 44ª Expointer, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. No primeiro compromisso após as manifestações de Sete de Setembro, Bolsonaro recebeu o apoio de muitos simpatizantes durante todo o percurso que fez hoje na feira. Vestindo lenço com as cores do RS, ouviu gritos de “mito”, cumprimentou simpatizante e tirou selfies.

Segundo a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, a participação do presidente na Expointer teve um motivo especial: mostrar o seu apoio ao agro do Rio Grande do Sul, “que não parou” durante a pandemia de Covid-19. “O presidente tem feito do agro uma bandeira porque sabe que o agro vem crescendo e se mostrou importantíssimo na pandemia. Em vez de ficar em casa, fomos pra dentro das fazendas, trabalhar, produzir, abastecer as prateleiras dos supermercados”, destacou. 

Bolsonaro chegou por volta das 11h e foi recepcionado pelo vice-governador Ranolfo Vieira Júnior, que representou Eduardo Leite. Depois de percorrer pavilhões do Parque de Exposições, o presidente almoçou na Casa Farsul. No local, foi servido feijão mexido, batata frita e carne. Bolsonaro recebeu a Medalha do Mérito Farroupilha, maior distinção dada pela Assembleia Legislativa. A proposição foi feita pelo deputado estadual Vilmar Lourenço (PSL).  

Durante discurso, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que os Três Poderes devem ser respeitados. O chefe do Planalto também citou o ex-presidente Emílio Garrastazu Médici e declarou que o povo não aceita retrocessos na luta pela liberdade. 

Bolsonaro afirmou que o voto do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, contrário à aplicação da tese do "marco temporal" na demarcação de terras indígenas, resultaria no "fim do agronegócio" no Brasil caso seja acatado pela Suprema Corte. "Se a proposta do ministro Fachin vingar, será proposta a demarcação de novas áreas indígenas que equivalem a uma região Sudeste toda. Ou seja, é o fim do agronegócio, simplesmente isso e nada mais do que isso", disse Bolsonaro, que recebeu a Medalha do Mérito Farroupilha, da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em cerimônia durante a 44ª Expointer.

O presidente afirmou que o seu governo tem deixado o campo "completamente livre" e foi aplaudido ao lembrar da escolha da ministra Tereza Cristina para comandar a Agricultura. "Faz um trabalho excepcional, quero elogiá-la mas também dizer que, com a escolha de ministros pelo critério técnico e sem pressões políticas, todos ganharam com isso", disse.

Em nenhum momento da visita, o presidente falou com a imprensa. Ele também não discursou no estande do Ministério da Agricultura, como era esperado. No local, o filho do presidente, o vereador pelo Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, de camiseta preta, tirou fotos com apoiadores. Por volta das 14h, o presidente deixou o portão 6 do Parque de Exposições Assis Brasil. Dentro do carro oficial, Bolsonaro acenava para o público. 

Veja Também

Com informações de Andre Malinoski e Andre Andrejew. 


publicidade


publicidade


publicidade


publicidade



publicidade


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895