Área de Proteção Ambiental da Lagoa de Itapeva, no Litoral Norte, completa 20 anos

Área de Proteção Ambiental da Lagoa de Itapeva, no Litoral Norte, completa 20 anos

Local é importante centro de estudo da flora e da fauna do Estado

Por
Correio do Povo

Gestão da área é feita pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Urbanismo através de um Plano de Manejo


publicidade

Maior lagoa do Litoral Norte do Rio Grande do Sul, com aproximadamente 31,50 km e largura média de cinco quilômetros, a Itapeva é centro de uma campanha especial da cidade de Torres em celebração aos 20 anos da Área de Proteção Ambiental (APA) do local. Conforme os gestores da Unidade de Conservação, as ações, como a criação de página no Facebook, conta no Instagram e de um logo e um selo para o espaço, são fundamentais para apresentar às novas gerações o que é feito para preservação, ressaltando a importância dela para a população. 

A lagoa está inserida na Bacia do Rio Tramandaí e abrange, além de Torres, os municípios de Arroio do Sal, Dom Pedro de Alcântara, Terra de Areia, Três Cachoeiras e Três Forquilhas. A fauna e a flora de seu entorno e no seu interior são características da Planície Costeira do RS. Quanto aos ecossistemas temos banhados, matas de restingas, mata paludosa, cordões de dunas e campos nativos. Nela ainda aparece em grande quantidade, maciços arbóreos e ninhais de aves aquáticas, além de ser encontrado ratões do banhado, lagartos e tatus.

O logotipo comemorativo é representado pela Tillandsia, um gênero de plantas aérea, inclusive com algumas espécies ameaçadas de extinção, pertencente ao grupo das bromélias. A APA situa-se ainda na zona de amortecimento do Parque Estadual de Itapeva e no corredor ecológico que conecta as lagoas da Itapeva e a do Jacaré, sendo assim uma importante área para a preservação da biodiversidade regional.

A UC foi criada como medida compensatória à implantação do Aeroporto Regional do Litoral Norte em 07/12/1999, através da Lei Municipal 3.372/1999. Ela abrange um segmento de 436,99 hectares de terras situadas entre o Aeroporto e a Lagoa de Itapeva (a lagoa propriamente dita não pertence a UC), indo desde a divisa sul com o município de Arroio do Sal, até um pouco acima da Estrada Itapeva/São Brás à nordeste.


A gestão é feita pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Urbanismo através de um Plano de Manejo, um documento que regra o uso e ocupação da área. As propriedades abrangidas são rurais e continuam sendo de domínio privado, sendo que as atividades agrosilvopastoris são permitidas, enquanto que a mineração e a caça são proibidas. A entrada de pessoas na área, geralmente para pesquisas, deve ser formalizada junto a SMAURB.