Capão da Canoa endurece regras para evitar aglomerações em bares e restaurantes durante o Réveillon

Capão da Canoa endurece regras para evitar aglomerações em bares e restaurantes durante o Réveillon

Comércio não-essencial deve ficar de portas fechadas nas madrugadas

Aristoteles Junior/Rádio Guaíba

Segundo o mais recente boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura de Capão da Canoa, nesta terça-feira (29), a cidade tem pelo menos 176 casos ativos de Covid-19 em tratamento

publicidade

A previsão de aumento de dez vezes na população de Capão da Canoa em razão do feriadão de Réveillon – passando de 100 mil para um milhão de pessoas – fez com que a prefeitura de Capão da Canoa adotasse medidas mais restritivas na tentativa de conter o avanço da Covid-19. Em decreto publicado nessa terça-feira (29), o Poder Público determinou que o comércio não-essencial fique de portas fechadas durante a madrugada.

Com isso, os bares e restaurantes da cidade, que vêm recebendo grande público à noite desde o início da temporada de veraneio, terão de fechar as portas à 1h. A abertura dos estabelecimentos só pode acontecer às 9h. A multa aos empresários que desrespeitarem as regras ficou bem mais salgada: antes, variava de um a dez PTM (Padrão Tributário Municipal), valor regido pela inflação do aluguel (IGP-M). Agora, vai de 10 a 100 PTM.

“A autuação vale tanto para as pessoas físicas, quanto jurídicas. Não é só para os estabelecimentos comerciais, que foram tão prejudicados durante esse ano. Mas também para aquelas pessoas que pensam que a aglomeração à beira da praia não vai dar em nada. É claro que o objetivo nunca foi multar. Só que a conversa não está funcionando”, lamenta o secretário de Turismo, Indústria e Comércio de Capão da Canoa, Everson Michel.

Além da chegada dos turistas, outro fator que provocou a edição do decreto foram as aglomerações registradas no último final de semana, marcado pelo feriadão de Natal. Para o Ano-Novo, outra grande preocupação é a beira-mar, que deve ficar lotada. Entretanto, a prefeitura não vai restringir o acesso das pessoas às praias, nem mesmo na noite da virada para 2021 – medida adotada, por exemplo, no Rio de Janeiro.

“Os municípios não são capazes de fiscalizar a orla no dia 31 de dezembro. Não há material humano para isso. Precisamos levar em consideração, também, que muitas pessoas quando vão à praia começam a beber e podem ficar alteradas. O fiscal corre, inclusive, o risco de ser agredido – fato que já aconteceu aqui em Capão da Canoa.”, ressalta Michel.

Município tem 22 pessoas hospitalizadas por Covid-19

Segundo o mais recente boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura de Capão da Canoa, nesta terça-feira (29), a cidade tem pelo menos 176 casos ativos de Covid-19 em tratamento. Vinte e dois pacientes estão hospitalizados, enquanto 154 passam por tratamento domiciliar. Há, ainda, outras 364 pessoas em isolamento, com sintomas de infecção por coronavírus, sem diagnóstico confirmado.

Trinta e dois novos casos foram contabilizados nas últimas 24 horas. Com isso, sobe para 3.272 o número de ocorrências da doença no município, que também soma 55 mortes. A fatalidade mais recente envolve uma paciente de 62 anos, que estava hospitalizada e não resistiu às complicações respiratórias decorrentes da carga viral.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895