17 de maio: Dia Mundial da Hipertensão Arterial
capa

17 de maio: Dia Mundial da Hipertensão Arterial

Doença só provoca sintomas em fases muito avançadas ou quando a pressão arterial aumenta de forma abrupta e exagerada. Especialistas destacam que o melhor jeito de prevenir hipertensão arterial é adotar hábitos de vida saudáveis.

Por
Correio do Povo

Fazer exames regularmente, praticar atividade física e manter alimentação saudável são bons hábitos

publicidade

Se você fuma, leva uma vida sedentária, possui uns quilinhos a mais, coloca aquele sal extra nas suas refeições e adora uma gordurinha, cuidado! Maus hábitos como esses influenciam nos níveis da sua pressão arterial - uma doença silenciosa, herdada geneticamente em 90% dos casos e que pode ser agravada se a forma como você leva a vida não inclui uma rotina saudável.

Em 17 de maio é comemorado o Dia Mundial da Hipertensão, oportunidade de conscientizar a todos sobre a importância da prevenção e combate a esta doença. Mas o que é hipertensão arterial?

Hipertensão Arterial ou Pressão Alta é uma doença crônica que apresenta níveis elevados da pressão sanguínea nas artérias. É caracterizada quando os valores das pressões máxima e mínima são iguais ou ultrapassam os 140/90 mmHg (ou 14 por 9). Por ser uma doença com base genética (histórico familiar) muito forte, indivíduos que levam uma vida saudável também podem desenvolver a doença. "Entretanto, sem dúvida alguma, obesidade, estresse, uso exagerado de sal alimentar e envelhecimento estão associados ao desenvolvimento da hipertensão. O sobrepeso e a obesidade, por exemplo, podem acelerar em até 10 anos o aparecimento da doença" esclarece Marcos Michelin, cardiologista e diretor-médico da Ecco Salva, em Porto Alegre.

O médico explica que as complicações mais graves relacionadas à hipertensão arterial, a longo prazo, são o Infarto Agudo do Miocárdio e o Acidente Vascular Cerebral, duas das principais causas de morte no Brasil e no Mundo.

Neste sentido, medir a pressão regularmente é a única maneira de diagnosticar a hipertensão. Pessoas acima de 20 anos de idade devem aferir a sua pressão ao menos uma vez por ano. Se houver casos de parentes com pressão alta na família, a avaliação deve ser considerada no mínimo a cada seis meses. Além disso, adotar um estilo de vida saudável é cada dia mais imprescindível. "Sem dúvida, o melhor jeito de prevenir hipertensão arterial é adotar hábitos de vida saudáveis. Contudo, por ser assintomática e possuir uma influência genética, o único meio de diagnosticá-la e tratá-la em tempo de evitar complicações futuras é medindo a pressão regularmente", sentencia o cardiologista.

Michelin alerta que os sintomas que costumam aparecer só quando a pressão já está muito alta, tais como: tontura, falta de ar, dor no peito, palpitações, dor de cabeça frequente e alteração na visão podem ser sinais de alerta.

Então, para manter-se longe deste mal, coloque em prática algumas medidas preventivas:

- se você não se exercita, comece uma atividade física de intensidade moderada por, no mínimo, 150 minutos na semana (ideal: 30 minutos, 5x na semana ou 50 minutos, 3x na semana);
- mantenha o peso adequado;
- aproveite os bons momentos do dia, com horas dedicadas ao lazer;
- se você fuma, abandone o cigarro o quanto antes e modere o consumo de álcool, mesmo que socialmente;
-evite alimentos com muita gordura; não abuse do sal e de outros realçadores de sabor dos alimentos.

Se você já é hipertenso, as dicas são as mesmas, lembrando que a pressão alta não tem cura, mas tem tratamento e pode ser controlada, com idas frequentes ao médico especialista, que poderá determinar o melhor método para cada paciente incluindo, se necessário, o uso de remédios. Controlar a pressão arterial é possível, mas o paciente precisa tomar a medicação de forma correta (se indicada) e mudar seus hábitos de vida.

Segundo Michelin, raramente uma pressão arterial abaixo de 18 por 11 será uma emergência. O que acontece em uma situação assim, é o sintoma que pode estar elevando a pressão, e não o contrário. "Um exemplo clássico é a dor de cabeça. Frequentemente o paciente está com dor de cabeça e resolve medir a pressão. Constata estar com 16 por 9 e acha que a pressão alta está lhe causando a dor de cabeça. Na maioria das vezes é exatamente o contrário, a dor de cabeça está fazendo a pressão arterial se elevar. Neste caso, o controle da dor leva a pressão para a normalidade", sinaliza.

Por outro lado, o cardiologista alerta que "quando a pressão arterial estiver elevada, associada a dor no peito, falta de ar, tontura de início súbito, dificuldade para falar ou mexer algum lado do corpo, deve-se solicitar atendimento de emergência" finaliza.