CinePsiquiatria realiza sessão comentada de "Parasita" no shopping Praia de Belas, em Porto Alegre

CinePsiquiatria realiza sessão comentada de "Parasita" no shopping Praia de Belas, em Porto Alegre

Projeto tem por objetivo desmistificar o tratamento clínico e abordar aspectos psicológicos e psiquiátricos

Correio do Povo

Exibição ocorreu no GNC Cinemas do Shopping Praia de Belas neste sábado

publicidade

O GNC Cinemas do Shopping Praia de Belas, em Porto Alegre, sediou mais uma edição mensal do projeto CinePsiquiatria, da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e  da Associação Psiquiátrica da América Latina (APAL) em conjunto com a Associação Psiquiátrica Cyro Martins (CCYM), na manhã deste sábado.

A atividade teve a exibição do filme "Parasita", do diretor sul-coreano Bong Joon Ho, vencedor do Oscar 2020, seguido de um debate entre o público e profissionais da área convidados. “Este projeto é anti-estigma, é contra o preconceito...Ele nasceu com a ideia de usar da cultura para levar informações à população. E qual a intenção? É tirar a distância da ciência e da população”, explicou o presidente da ABP e da APAL, Antônio Geraldo da Silva. 

Questões presentes nos filmes exibidos, como transtornos mentais e comportamentos dos personagens, são discutidos depois das sessões, desmistificando o tratamento clínico e abordando aspectos psicológicos e psiquiátricos. “Quando se reduz o estigma, a pessoa passa a cuidar da sua doença e quando faz isso faz prevenção do suicídio...Reduzir  estigma é salvar vida, é prevenir o suicídio, é dar melhor qualidade de vida à população...” enfatizou. “Temos ainda outro problema que é o auto-estigma”, observou o presidente da entidade.

Antônio Geraldo da Silva afirmou que até os nomes das doenças psiquiátricas são tratados de modo preconceituoso pela sociedade.  “Falam assim: essa reunião esquizofrênica”, citou como exemplo.  “Usar o nome de uma doença para classificar uma pessoa é de um preconceito sem tamanho”, acrescentou.

Já o vice presidente da CCYM, Euclides Gomes, reforçou que o projeto CinePsiquiatria, criado há quatro anos, visa “lutar contra a psicofobia que é o preconceito contra a doença mental e contra os doentes acometidos deste mal”. De acordo com ele, a proposta é utilizar filmes que tenham conteúdo psiquiátrico. “Quase todos filmes têm”, lembrou.

Sobre a escolha do filme Parasita, ele considerou que a história reflete uma doença social. “É um filme que fala sobre as diferenças de classe e sobre a impossibilidade, no caso do filme: de existir uma mudança. No final tudo volta ao que era….”, sintetizou. “O bom e o mau é um conceito puramente filosófico. O filme demonstra claramente isto. A sociedade se comporta de maneira muito similar em qualquer cultura”, concluiu Euclides Gomes.


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895